Castigo ( Casa )

O Toninho está virado para a parede, de pé.
LUCINDA - 3, 2, 1, PIIIIIIII!!! Já deu o 2º toque, já podes sair daí.
FILIPA - O que é que estavas a fazer ali, virado para a parede?
TONINHO - Estava a treinar para o castigo de amanhã. Vou ter formação cívica!!!

Problema ( Hospital )

JEAN JACQUES - Estou com um problema que, a minha família, amigos e conhecidos... ninguém me leva a sério!
MÉDICO - Deve estar a brincar comigo!!!

Verdade ( Rua )

MITÓ - Estou muito chateada contigo! Andaste a dizer a toda a gente que eu sou burra!
AMIGA - Desculpa! Não sabia que era segredo!

Mulheres ( Rua )

BRUNO - O sr. Aníbal prefere as mulheres que nunca se calam, ou as outras?
ANÍBAL - Quais outras?

Mudar O Visual ( Cabeleireiro )

HENRIQUETA - Quero mudar o meu visual. Quero ficar gira.
FILIPA - Muda mas é de ideias!!! A decapitação é proibida no nosso país!

A Entrevista ( Rua )

LUCINDA - Fui entrevistada por um inglês.
ZULMIRA - Tiveste dificuldade em acompanhar o inglês?
LUCINDA - Não. O inglês é que teve dificuldade em acompanhar-me.

Meias Elásticas ( Supermercado )

TERESA - Boa tarde, têm meias elásticas?
MANEL - Nós aqui não vendemos meias doses. Se quer elásticas, tem que as levar... inteiras!

O Espertalhão ( Escola )

PROFESSORA - O que é o juizo?
TONINHO - É fazer tudo o que a professora nos manda, mesmo que não esteja correcto.

Os Rebuçados ( Supermercado )

MANEL - Porquê que os clientes gostam mais que seja a dona Tânia a pesar os rebuçados?
TÂNIA - Eu vou-te explicar: tens um saco. Pões lá rebuçados e depois pesas. Vês que tem a mais, e tiras... tiras...
MANEL - Então, e não é assim que se deve fazer?
TÂNIA - NÃÃÃÃO! O que eu faço é: tenho um saco. Ponho poucos rebuçados. Vejo que tem a menos, ponho... ponho...

A Corda ( Rua )

O Indalésio está com uma corda amarrada à barriga.
DEOLINDA - O que é que estás a fazer?
INDALÉSIO - Estou a enforcar-me.
DEOLINDA - Mas para isso tens que atar a corda ao pescoço.
INDALÉSIO - Já tentei, mas falta-me o ar!!

O Ajudante ( Bar )

O Bruno ficou maluco, porque estavam todos os clientes a chamar por ele, ao mesmo tempo.
BRUNO - Ó sr. Aníbal, o sr. consegue fazer este serviço por mim?
ANÍBAL - Claro que consigo!
E trocam de papeis. O Aníbal chega-se a um cliente.
ANÍBAL - Olá, boa tarde, o que deseja, sr.?
HOMEM - Queria a carta.
ANÍBAL - E já agora, não quer que lhe traga o selo?
HOMEM - Antes disso, quero é o livro de reclamações!
ANÍBAL - Ai quer o livro? Mas isto é um bar, NÃO É UMA LIVRARIA!!
O cliente levanta-se.
HOMEM - ACHA QUE EU TENHO MEDO DE SI?
ANÍBAL - Quer andar à porrada comigo?
HOMEM - Ahahahah! Quantos são?
Levantam-se o Nelson, o Indalésio, o Advogado e o Bruno.
TODOS - Diga-nos isso na nossa cara!

A História ( Escola )

PROFESSORA - O que é a pré-história?
RICARDO - É o tempo em que eu ainda não vinha para a escola.

Segredos ( Rua )

A nova namorada do Aníbal foi-se embora do banco onde eles estavam a namorar.
Chega o polícia.
POLÍCIA - O que é que a tua nova namorada te disse quando eu cheguei?
ANÍBAL - "Olha, Aníbal! Vou embora, chegou aquele polícia barrigudo que anda atrás de mim.".

Pianista ( Bar )

ZULMIRA - Gostaste da execução daquele pianista?
DEOLINDA - Gostei. Mas a prisão perpétua não lhe ficava nada mal...

A Política ( Casa )

TONINHO - O que é a política?
JOSÉ - Por exemplo: eu trabalho e trago o dinheiro para casa. Eu represento o capitalismo. A mãe, faz a gestão do dinheiro e faz o que quiser com ele. Representa o poder...
TONINHO - E a Lucinda e eu?
JOSÉ - A Lucinda passa as noites fora de casa e gasta o dinheiro todo. Representa o povo. Tu, que és o mais novo, representas o futuro.
TONINHO - E a avó?
JOSÉ - A avó está sempre a apontar-me com o dedo, representa a central sindical.

O Carpinteiro ( Escola )

PROFESSORA - Qual é o maior erro que um carpinteiro pode cometer?
CATARINA - Tentar cortar a Madeira com a Serra da Estrela...

Habituação ( Casa )

FILIPA - Onde é que passaste a noite?
JOSÉ - Fora de casa.
FILIPA - Mal criadão! Como é que consegues olhar para a minha cara?
JOSÉ - Já me habituei a ela!

Acidente ( Rua )

ADVOGADO - Ouvi dizer que o sr. Bêbado teve um acidente e teve de ser internado no hospital!
TERESA - É verdade! Espetou-se contra a garagem! Ainda bem que ele veio a pé! Se viesse de carro... teria sido uma desgraça...

Festa ( Casa )

ZULMIRA - Espero que te tenhas portado bem na festa.
LUCINDA - Não se preocupe, porque o Helder, o Bruno, o Jagob, o Caló, o Cajó, o Henrique, o Tó e o Franginhas disseram que eu fui um espectáculo!

Assunto ( Rua )

BÊBADO - Se encontrasse um homem na cama com a minha mulher, partia a bengala e matava o cão.
BRUNO - Quê?
BÊBADO - De certeza que era cego, o gajo!!!

Crocodilos ( Bar )

INDALÉSIO - Sr. José Batanete! A sua sogra caíu num lago de crocodilos!
JOSÉ - E o que é que eu tenho a ver com isso? Se os crocodilos morrerem envenenados, não tenho culpa!

Leão ( Rua )

ANÍBAL - Quando eu estava em África, um leão correu atrás de mim.
BÊBADO - Deitou-lhe a pata e comeu-o?
ANÍBAL - Não... eu fugi, e depois quando me virei para trás, já não via o leão, depois virei-me para a frente, e vi o leão!
BÊBADO - Deitou-lhe a pata e comeu-o?
ANÍBAL - Não. Depois logo a seguir, escondi-me numa árvore, e o leão encontrou-me!
BÊBADO - Deitou-lhe a pata e comeu-o?
ANÍBAL - Mas tu estás no meu lado, ou no lado do leão?

Aumento ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - Eu preciso muito que a dona Fifi me aumente o ordenado!
FILIPA - Porquê?
MARIA JOÃO - Porque a minha irmã diz que eu roubei o namorado dela, e pôs o processo em tribunal, e agora não pára de trabalhar para que se descubra a verdade.
FILIPA - E o que é que isso tem a ver com o teu ordenado?
MARIA JOÃO - É que só faltam duas prestações para comprar o advogado dela!

Segredo ( Rua )

CARLA - Contaste a alguém que nos casamos em segredo?
CALÓ - Não, nem à minha mulher.

Sogras ( Rua )

ANÍBAL - Sabes qual é a semelhança entre as sogras e as cebolas?
BRUNO - Não.
ANÍBAL - Nós, os homens, temos vergonha de sermos vistos com elas!

Atraso ( Escola )

PROFESSORA - Chegaste muito atrasada. Tens falta.
CATARINA - Se tenho falta vou já dar uma volta.
PROFESSORA - Chegas sistematicamente atrasada, e agora reclamas?
CATARINA - Claro!
PROFESSORA - Com esse comportamento, o que é que queres ser quando fores grande?
CATARINA - Deputada!

O Nó ( Casa )

MÉDICO - O seu marido está com sintomas de asfixia.
FILIPA - E o que é que eu tenho de fazer?
MÉDICO - A dona Fifi ESTÁ PROIBIDA de fazer-lhe o nó da gravata!

Viva A República ( Casa )

TONINHO - A professora disse para eu levar um objecto do tempo da Implantação da República.
JOSÉ - Olha, leva a tua avó...

Alô? ( Casa )

TÂNIA - Tens ali uma chamada para ti.
ANÍBAL - Quem é?
TÂNIA - É uma senhora, não sei quem é.
ANÍBAL - Então como sabes que é para mim?
TÂNIA - Porque ela apenas disse: "Olá! És tu, meu parvalhão?".

Bilhete ( Rua )

NELSON - Eu dei-te o dinheiro.
BÊBADO - E eu comprei o bilhete.
NELSON - Mas eu dei-te o dinheiro!
BÊBADO - E o bilhete não foi comprado?
Vem o advogado.
ADVOGADO - Vamos resolver isto a tribunal. ESTÁ ABERTA A SESSÃO! Começa o sr. Nelson.
NELSON - O Bêbado deve-me 15€ que lhe dei.
BÊBADO - Os 15€ foram para comprar o bilhete ao Nelson.
NELSON - Mas ele comprou para ele um bilhete normal, e para mim comprou um bilhete de criança.
BÊBADO - O bilhete de criança é mais barato.
NELSON - Mas não me deixaram entrar...
BÊBADO - Não tenho culpa que ele não tenha feito a barba nessa manhã...
ADVOGADO - A SESSÃO ESTÁ ENCERRADA!

Aflição ( Hospital )

ALICE - Aaaaii, senhor doutor! A minha filha engoliu 1 cêntimo... eu estou tão aflita!
MÉDICO - O WC está avariado, eu já cá mandei vir os homens, mas não funciona! Em relação à menina, dê-me cá a menina, que eu tiro a moeda!
ALICE - Acha que eu posso confiar em si? Posso-lhe dar a minha filha? É que eu estou tão aflita!
MÉDICO - OLHE, FAÇA AÍ! FAÇA AÍ! EU JÁ DISSE QUE O WC ESTÁ AVARIADO, PORRA!

Filhos (A)Normais ( Rua )

ADVOGADO - Já pensaste... se tivessemos filhos, como seriam porreiros? Com a sua beleza e a minha inteligência!
LUCINDA - Assim eu não quero... iriam parecer uns anormais! Prefiro com a sua beleza e a minha inteligência!

Teste De História ( Bar )

DEOLINDA - Como correu o teste de história do Toninho?
ZULMIRA - Foi zero. Só lhe fizeram perguntas sobre coisas que aconteceram antes de ele nascer...
DEOLINDA - Ó Bruno! Duas minis!

Até Os Preços Sobem... ( Rua )

O Bruno está a segurar o Bêbado, que não se aguenta em pé.
BRUNO - O vinho... sobe. A cerveja... sobe. A aguardente... sobe. Essas amiguinhas sempre a subir... e só tu é que desces!

Cão ( Rua )

FILIPA - Porquê que o seu cão, quando abana a cauda, abana de cima para baixo, e não da esquerda para a direita (e vices-versas)?
TERESA - Porque nós vivemos numa casa muito pequenina!

Circo ( Bar )

CATARINA - Leva-me ao circo, Mano!
JANUÁRIO - Não gosto de circos. Não vamos.
CATARINA - É bué fixe, o circo! Tem uma mulher toda nua, em cima de um cavalo branco!
JANUÁRIO - Ok, vamos ao circo... há emenso tempo que não vejo um cavalo branco!

Flores ( Rua )

ZULMIRA - Quanto é que custa esse ramo de flores?
INDALÉSIO - 500€ a coroa!
ZULMIRA - Cara.
INDALÉSIO - Coroa.
ZULMIRA - Sim, mas cara!
INDALÉSIO - Coroa!

Desgraça ( Supermercado )

Ocorre uma explosão, no supermercado...
Vem o Manel, com um lenço no nariz.
TÂNIA - O que se passou? Partiste alguma coisa?
MANEL - Parti o nariz em três sítios.
TÂNIA - Olha, seu parvo! Se estivesses no armazem como eu te disse, não andavas a partir o nariz em sítios que a gente não conhece!

Grande Toninho ( Cabeleireiro )

LUCINDA - Ó mãe! Aconteceu uma coisa ao Toninho!
FILIPA - O que é que se passou?
LUCINDA - Ele foi para casa da Catarina ver quem é que saltava mais rapidamente da janela.
FILIPA - E depois?
LUCINDA - Ganhou o mano!

Maluquice ( Rua )

BÊBADO - Como é que consegues fazer tanta maluquice num só dia?
INDALÉSIO - Acordo muito cedo e deito-me muito tarde.

A Baixa ( Bar )

ADVOGADO - Esta comida está insuportável! Onde está a dona?
BRUNO - No hospital.
ADVOGADO - E a gerenta?
BRUNO - Está mais a dona.
ADVOGADO - O que é que elas têm?
BRUNO - Ficaram doentes por comerem essa comida que o sr. Câmara está a comer!

Palavriado ( Supermercado )

A Mary estava de gatinhas no chão, a olhar para os preços.
TÂNIA - O que é que estás a fazer?
MARY - Estou à procura dos preços baixos.

Valores ( Rua )

PADRE - A Aurora passou a missa toda a tossir. O que é que ela tem?
LADRÃO - Uma pulseira de ouro e um colar de rubis. Acho que não tem mais nada...

Estatísticas ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - O que é que diz aí na revista?
FILIPA - Que em cada 5 pessoas que odeiam as mulheres, 5 são mulheres.

Futuro ( Escola )

PROFESSORA - Tininha, o que queres ser quando fores grande?
TININHA - Mamã.
PROFESSORA - E tu, Ricardo?
RICARDO - Quero ajudar a Tininha a ser mamã.

O Leite ( Supermercado )

MADRE - Bom dia, têm leite?
TÂNIA - Eu, infelizmente, não. MAS NO MERCADO TEMOS!
MANEL - Temos engarrafado, empacotado mais o avulso.
MADRE - E porquê que o leite empacotado é mais caro do que o avulso?
TÂNIA - Quem é que nos fornece o leite, quem é, quem é? É A VACA!
MANEL - E nós aqui só trabalhamos com o produto directamente do produtor ao consumidor, irmã Dolores...
TÂNIA - Que é como quem diz, 'O leite vai directamente da vaca para a boca da irmã Dolores, OU VICE-VERSA'!
MADRE - Como?
MANEL - Imaginemos então que a irmã é a vaca. Senhores telespectadores, é a questão que fica no ar:

O que é que custa mais?
- Espremer directamente das tetas para uma tina larga.
- Enfiar a teta num gargalo.

Para responder a esta pergunta LIGUE 0644477.
TINA GRANDE - PRIMA 1.
GARGALO - PRIMA 2.
NÃO SABE / NÃO RESPONDE - PRIMA 3.
SE ACHA QUE VAI MUDAR DE CANAL - PRIMA 4 - E A NOVELA COMEÇA JÁ DE SEGUIDA.

É Lógico ( Rua )

INDALÉSIO - Como é que se identifica um major à paisana?
ANÍBAL - Sempre que te cruzares com um homem dizes: "Olá, major!". Se te responder, é porque é...

Coisas De Homens ( Bar )

ZULMIRA - És muito inteligente! Se fosse a ti, casava com a minha filha. Ouvi dizer que homens inteligentes dão bons maridos.
BACALHAU - Mentira! Homens inteligentes não casam!

Desejos ( Rua )

NELSON - Se estivesse-mos nós os dois numa ilha deserta, o que é que mais desejavas?
FILIPA - Um baton.
NELSON - E se eu te concedesse dois desejos?
FILIPA - Um espelho e um baton.

O Amor ( Escola )

PROFESSORA - O que é o amor?
TININHA - É uma coisa que ainda não sei medir... ainda só estou no 4º ano...

Que Mal Tem? ( Rua )

NELSON - O subir idade não tem poder em ti!
FILIPA - O mesmo não posso dizer de si.
NELSON - Porquê que diz isso? Faça como eu: minta!

Penteado ( Cabeleireiro )

TÂNIA - Quero mudar o meu penteado. Fazer uma coisa nova!
MARIA JOÃO - Arranca-se o cabelo e escolhes uma peruca nova!

Pobres Crianças ( Escola )

PROFESSORA - O que é um adulto?
IMPÉRIO - É uma pessoa que não percebe nada de crianças!

Comemoração ( Casa )

JOSÉ - Hoje fazemos anos de casados. Vamos comemorar!
FILIPA - Que tal um minuto de silêncio?

Drama ( Rua )

INDALÉSIO - Aquele casal de namorados, que se amava muito, acabou em drama.
DEOLINDA - Morreram?
INDALÉSIO - Não, casaram!

Semelhança ( Casa )

ZULMIRA - Sabes qual é a semelhança entre um espermatozóide e um adepto do Sporting?
ANÍBAL - Não.
ZULMIRA - 1 em 3 000 000 tem possibilidade em se tornar humano.

A Alegria ( Escola )

PROFESSORA - O que é a alegria?
TONINHO - A escola.
PROFESSORA - Porquê?
TONINHO - Porque ser alegre é achar graça até às coisas que dão para chorar!

Remédio ( Casa )

FILIPA - Vou dormir com a minha maezinha, para não apanhar a tua doença!
JOSÉ - Se eu precisar de ti, eu chamo-te.
FILIPA - Não precisas! Se morreres, vai ao armário buscar o teu fato preto, deitas-te esticado na cama, fechas os olhos, e se te lembrares, põe as mãos no peito!

Ó Diabo ( Casa )

TONINHO - Ó pai! A avó mandou-me para o Diabo!
JOSÉ - E tu, o que fizeste?
TONINHO - Vim logo ter contigo...

O Negócio ( Rua )

TERESA - Ó Carla! Quanto é que me dás pelo meu marido?
CARLA - Eu? Nada!
TERESA - Ok, negócio fechado!

O Elogio ( Rua )

JOSÉ - As mulheres mais bonitas casam sempre com os homens mais idiotas.
FILIPA - Foi o elogio mais bonito que me deste desde que casamos!

Peso ( Hospital )

MÉDICO - Tire os sapatos e vá para cima da balança.
A Zulmira obedece.
ZULMIRA - E agora?
MÉDICO - Agora meta a moedinha, porque isto não é tudo de graça, o Estado não nos vem trazer o dinheiro, eu tenho de ganhar dinheiro à força...
A Zulmira obedece.
ZULMIRA - E agora?
MÉDICO - Agora espere que a balança diga o seu peso.
BALANÇA - Titotó, titotó! Por favor retire alguém da balança, só consigo pesar uma pessoa de cada vez! Titotó, titotó!
ZULMIRA - (Sai da balança e vai-se embora) Deus me livre! Xau!
Vem o Manel com o seu megafone.
MÉDICO - (Dá dinheiro) Toma lá, rapaz! Vai comprar chocolates.

Genebra ( Bar )

TERESA - Afinal estás aqui! O que é que estás a beber?
BÊBADO - A Genebra!
A Teresa prova.
TERESA - Como é que consegues beber isto todo o dia? Isto é ácido!
BÊBADO - Vês? E depois estás sempre a dizer que passo o dia a divertir-me!

Notícias ( Rua )

FILIPA - Tenho duas notícias para te dar, uma boa e outra má.
JOSÉ - Começa pela boa!
FILIPA - O air-bag funciona!

Um Homem Lindo ( Bar )

ZULMIRA - Tenho saudades do meu marido. Apesar do peso, era elegante.
DEOLINDA - Também tenho saudades do meu. Apesar de tudo, tinha uns dentes lindos! Tanto o da direita como o da esquerda!

Carta ( Rua )

POLÍCIA - Vou ter que tirar a carta à menina Carla!
CARLA - Fixe! Eu ando para a tirar, já lá vão 5 anos!

O Almocinho ( Bar )

DEOLINDA - Então, Zulmira! Soube-te bem, o almocinho?
ZULMIRA - Porquê que perguntas? Estás com vontade de discutir comigo?

O Desejo ( Bar )

BÊBADO - Gostava de ser um génio.
BRUNO - Para quê?
BÊBADO - Para viver sempre numa garrafa!

Acordar ( Supermercado )

TÂNIA - Uma rapariga séria não pode fazer tudo o que quer...
LUCINDA - ACORDA, TIA! Eu sei que não faço tudo o que devo, por isso vou fazendo tudo o que posso! Devias fazer o mesmo! Vai à luta!

A Padroeira ( Rua )

LUCINDA - Qual é a padroeira das loiras?
PADRE - A Santa Ignorância.

Bella Itália ( Escola )

PROFESSORA - Qual é a forma da Itália?
CATARINA - Bota de borracha.
PROFESSORA - Porquê "de borracha"?
CATARINA - Porque se não fosse de borracha, entrava água!

Tem Ou Não Tem ( Supermercado )

MANEL - Venha ao minimercado do Samouco, levam tudo e pagam pouco!
ADVOGADO - Vocês têm tudo?
TÂNIA - Temos.
ADVOGADO - Então quero uma pistola.
TÂNIA - Não temos.
ADVOGADO - Um facalhão de cozinha.
TÂNIA - Não temos.
ADVOGADO - Vocês têm alguma coisa contra mim?
TÂNIA - Temos: uma pistola e um facalhão de cozinha!

O Saber ( Escola )

PROFESSORA - Como é que é possível, Toninho? Ensinei-te tudo o que sabia, e tu nunca sabes nada!!!
TONINHO - Talvez a professora não saiba muito!

Filosofia ( Rua )

ZULMIRA - O que é que tens para me dizer hoje?
INDALÉSIO - Não é preciso fazer coisas extraordinárias, para fazer tudo extraordinariamente bem!

Pão ( Bar )

MANEL - Bruno... este pão é de ontem. Arranja-me aí um pão que seja de hoje.
BRUNO - Só se passares por cá amanhã!

A Campaínha ( Escola )

PROFESSORA - Porquê que estás sempre a olhar para o relógio?
CATARINA - Porque tenho medo que a campaínha vá interromper a sua linda lição!

Chantagem ( Casa )

LUCINDA - Dá-me 50€.
JOSÉ - Para quê?
LUCINDA - Não digo.
JOSÉ - Tens que dizer...
LUCINDA - Se mos deres, eu digo-te o que é que o carteiro diz à mãe todos os dias.
JOSÉ - (Dá os 50€) Agora diz o que é que o carteiro diz.
LUCINDA - "Filipa Lucas Batanete, aqui tem o seu correio.".

Casamento Feliz ( Rua )

MARY - Porquê que não acreditas no casamento feliz?
CARLA - Porque é difícil reunir todas as condições.
MARY - Quais são as tuas condições?
CARLA - É preciso arranjar um homem que saiba cozinhar! É preciso arranjar um homem que saiba lavar! É preciso arranjar um homem que seja bom na cama!
MARY - Pois... e é preciso, com certeza, um 4º homem que se dê bem com esses três!

Não Dá ( Casa )

ANÍBAL - Lucinda, queres vir comigo passear na rua?
LUCINDA - Agora não dá.
ANÍBAL - Porquê?
LUCINDA - Porque não dá.
ANÍBAL - Mas diz porquê?
LUCINDA - Porque a avó Zulmira só faz bolo de chocolate quando vai à janela ver se estás na rua.
ANÍBAL - A mamã faz isso ao seu filho?
ZULMIRA - DESAPARECE!
ANÍBAL - A mamã é má!!!
ZULMIRA - VAI-TE EMBORA!!

Inglês ( Escola )

PROFESSORA - O que quer dizer "I don't know"?
TONINHO - Eu não sei! :(
PROFESSORA - Muito bem! 20 valores!!

O Banho ( Casa )

FILIPA - Desta vez vais ter de tomar banho no lava-loiças da cozinha.
TONINHO - Então desta vez vê lá se não te esqueces de tirar os garfos primeiro!

Caminho ( Rua )

ANÍBAL - Como é que se chega ao teu quarto?
HENRIQUETA - Tens de passar pela Igreja!

Papel Higiénico ( Supermercado )

HENRIQUETA - Tem papel higiénico?
TÂNIA - Não. Mas temos alguma coisa parecida.
HENRIQUETA - O que é que pode substituir o papel higiénico?
TÂNIA - Folhas de lixa nº5. Cu mole!
MANEL - Vai um Funaná?
HENRIQUETA - Sou mulher para isso!

Sem Dúvida ( Cabeleireiro )

ROSALINA - Sem dúvida que vais passar a ter um companheiro na tua vida.
MARIA JOÃO - Vou?
ROSALINA - É loiro de olhos azuis.
MARIA JOÃO - Um loiro? De olhos azuis? :D E é daqueles que passa a vida fora de casa?
ROSALINA - Não. É caseiro, baixo, penas verdes e imita o que as pessoas dizem!

Problema ( Cabeleireiro )

FILIPA - O que é que tens? Estás sempre a choramingar!
MARIA JOÃO - É que eu preciso de um marido!
FILIPA - Oh! Esquece isso!
MARIA JOÃO - A dona Fifi é tão fria! Ninguém se preocupa comigo! Se eu morresse ninguém dava por isso!
FILIPA - Eu dava! Posso ser fria, mas não sou surda!

Boas Acções ( Escola )

PROFESSORA - O que é que fizeste ontem depois do jantar, Ricardo?
RICARDO - Lavei a loiça e depois limpei-a.
PROFESSORA - E tu, Toninho?
TONINHO - Lavei a loiça e depois apanhei os cacos!

Perguntas ( Supermercado )

TÂNIA - Pergunta-me se eu sou gira.
MANEL - A dona Tânia não é gira, a dona Tânia é o máximo!
TÂNIA - Pergunta-me se eu sou boa.
MANEL - A dona Tânia é das melhores!
TÂNIA - Pergunta-me se eu sou parva.
MANEL - A dona Tânia é parva, não é?

Moedas ( Bar )

POLÍCIA - Porquê que fazes moedas falsas?
CALÓ - Porque as outras pessoas utilizam as moedas verdadeiras todas!!

Sapatos ( Supermercado )

JÚLIO - Tem sapatos?
MANEL - Para quem?
JÚLIO - Para a minha mãe.
MANEL - E qual o número da mamã?
JÚLIO - Mãe há só uma...
TÂNIA - O meu empregado não se explicou bem! Qual o número de sapatos da sua mãe...?
JÚLIO - Tem muitos!
MANEL - O que a minha colega... hein... patroa se estava a referir era... o número de pés, entendeu?
JÚLIO - Dois!

Instrutor De Musculação ( Rua )

CALÓ - A sua mulher anda metida lá com o instrutor de musculação.
POLÍCIA - Aquele fedelho é um instrutor de musculação?
CALÓ - É, sim senhor!
POLÍCIA - Ninguém diria...

Primeiros Socorros ( Escola )

PROFESSORA - Catarina, se o Ricardo comesse um cogumelo venenoso, sentiria-se mal, caía num rio, e... como não tinha forças, começava a afogar-se. Ora, tu vias isso, o que é que fazias?
CATARINA - Nada!
PROFESSORA - Nada? Tu não tiravas o Ricardo do rio?
CATARINA - Para quê? Ele ia morrer na mesma com o veneno do cogumelo...!

Cabelo ( Bar )

ANÍBAL - Encontrei um cabelo ruivo na minha sopa.
DEOLINDA - É que a nossa cozinheira loira foi de férias!

Coragem ( Cabeleireiro )

HENRIQUETA - Eu contei ao meu marido que gastei todo o seu ordenado em roupas.
MARIA JOÃO - Coragem...
FILIPA - Grande coisa... eu contei ao meu marido todas as minhas infidelidades...
MARIA JOÃO - Isso é que é coragem!!
FILIPA - Coragem, não! Memória!

O Beijo Da Despedida ( Rua )

ZULMIRA - Que giro! O Antoninho leva a sua mulher todos os dias ao trabalho!
DEOLINDA - Pois... ela é tão feia, que assim evita dar um beijo de despedida ao sair de casa.

Diplomata ( Bar )

CATARINA - O que é um diplomata?
JANUÁRIO - É um tipo que sabe ficar calado em várias línguas!

Sempre Bêbado ( Rua )

PADRE - Sempre bêbado, Passarinho, sempre!!!!
BÊBADO - Também eu, sr. Padre, também eu!

Helicóptero ( Rua )

INDALÉSIO - Olhe para ali! Uma helicóptera!
ZULMIRA - Não é helicóptera, é helicóptero!
INDALÉSIO - Ei! A dona Zulmira tem cá um cálculo de vista...

Playboy ( Bar )

BRUNO - O que é que estás a ler, Bacalhau?
BACALHAU - A Playboy.
BRUNO - Tu gostas da Playboy?
BACALHAU - Sim... tal como gosto da National Geografic, gosto muito de ver sítios onde dificilmente irei!

O Náufrago ( Rua )

O bêbado estava a "nadar" numa poça de água.
POLÍCIA - Olha para isto! Sempre bêbado!
BÊBADO - Quem está aí?
POLÍCIA - Sou eu, o agente Batanete, não me conheces? Olha, apoia-te a mim!
BÊBADO - Primeiro as mulheres e as crianças, eu sei nadar!

Companhia ( Casa )

ZULMIRA - Então? Sempre vamos ao teatro?
LUCINDA - Não. Eu passei por lá, e tinha uma placa a dizer "Fechado".
ZULMIRA - Pois... é o que fazem as más companhias!
A Lucinda vira-se para os telespectadores.
LUCINDA - O que ela queria dizer não é companhia de fazer companhia, é companhia de teatro. Tipo, não é uma pessoa de mão dada à outra, é mais tipo, companhia de teatro, não é companhia tipo... à frente à lareira, não! É companhia de teatro! Não é aquela companhia......................................................

As Nossas Mulheres II ( Rua )

BÊBADO - Então? O que é que está a fazer?
POLÍCIA - Estou a pensar na minha mulher.
BÊBADO - Uuuuh! Pensamento perigoso, para quem está sozinho!
POLÍCIA - Sinto-me tão afastado da minha Fifi!
BÊBADO - É natural! Não há nada que afaste mais o homem da mulher, que o casamento!

Aniversário ( Cabeleireiro )

TERESA - Porquê que você faltou à minha festa de aniversário?
FILIPA - Porque eu não suporto o brilho de tantas velas!

As Nossas Mulheres ( Rua )

POLÍCIA - Então? O que é que estás a fazer?
BÊBADO - Estou a pensar na minha mulher.
POLÍCIA - Uuuuh! Pensamento perigoso, para quem está sozinho!
BÊBADO - A minha Maria Teresa é muito complicada... mas lá no fundo, eu compreendo o que ela diz!
POLÍCIA - É... a ciência ainda não consegue explicar como é que o homem consegue compreender a mulher, apenas pelo que ela diz!

Orelhas ( Bar )

ADVOGADO - Ó BRUNO!
BRUNO - Hein?
ADVOGADO - Já te chamei mais de cinco vezes. Tu não tens orelhas?
BRUNO - Tenho. Mas como é que você quer? Assadas, grelhadas...

Granadas ( Rua )

Os dois polícias estavam a passear na rua.
MARCELINO - O que é aquilo?
JOSÉ - São duas granadas!
MARCELINO - E agora, o que fazemos?
JOSÉ - Levamos com muito cuidado para a esquadra.
MARCELINO - E se uma delas rebenta?
JOSÉ - Paciência, dizemos que só encontramos três...

Melhor Não Há ( Supermercado )

MITÓ - Tem ganchos invisíveis?
TÂNIA - Manel... CAVE! Vai buscar os ganchos invisíveis!
(...)
MITÓ - Tem a certeza que é isto?
TÂNIA - Sim... tenho vendido tantos, que nem dei conta de que já estava a acabar.

Bebé ( Cabeleireiro )

Uma mulher grávida entra no cabeleireiro.
MARIA JOÃO - Boa tarde, vai ter um bebé?
MULHER - Não, ando com ele para fazer um favor a uma amiga... DUH!!!

Hasta Siempre ( Escola )

PROFESSORA - Catarina, quais foram os 3 maiores êxitos do Socialismo Cubano?
CATARINA - Desporto, saúde e educação.
PROFESSORA - E os 3 maiores fracassos, Toninho?
TONINHO - Pequeno almoço, almoço e jantar.

Tradução Simultânia ( Supermercado )

TÂNIA - Hi, my name is Tânia (com chapéu, quer dizer, não sou eu que tenho o chapéu, é o nome), and I want a man for me!
O Manel chega ao pé dela e beija-a na boca!
TÂNIA - PÁRA, MANEL! OS HOMENS SÃO MESMO ESTÚPIDOS! Não podem ouvir uma mulher a falar estrangeiro, que pensam logo que somos loiras e suécas!
MANEL - Flirter jij veus met mij?
TÂNIA - Jij aanvaardt, als ik je vraag?

Máquina Fotográfica ( Rua )

ANÍBAL - Imagina tu que um cientista inventou uma máquina fotográfica que tira uma fotografia à Terra por inteiro, a partir do Espaço, e ao pormenor!
INDALÉSIO - E isso deu resultado?
ANÍBAL - Deu, mas a fotografia ficou tremida... é porque aqui em baixo alguém se mexeu!

Cheques ( Bar )

DEOLINDA - O que é que faz o marido da Aurora?
ZULMIRA - Escreve peças de teatro que ninguém representa.
DEOLINDA - E o filho?
ZULMIRA - Faz poesia que ninguém a dita.
DEOLINDA - E o irmão?
ZULMIRA - Passa cheques que ninguém aceita.
DEOLINDA - Bruno, duas minis!

Salsa E Merengue ( Escola )

PROFESSORA - Quem foram Adão e Eva?
TONINHO - Dois fedelhos.
PROFESSORA - O quê?
TONINHO - Não tinham roupa, andavam descalços, não tinham dinheiro, ainda lhes diziam que estavam num paraíso!

A Traça ( Escola )

PROFESSORA - O que é uma traça?
CATARINA - É um bicho que passa os Invernos numa camisola de lã, e os Verões num fato de banho.

Namorado ( Casa )

TÂNIA - Como é que está o teu namorado?
LUCINDA - Qual?
TÂNIA - O Fané.
LUCINDA - Esse mudou muito! Bastante! Ele agora até se chama Tó Mané...

Idiomas ( Rua )

INDALÉSIO - Mulher... vamos começar a almoçar no restaurante perto de Alcochete.
MULHER - Não pode ser. Eles nunca se calam.
INDALÉSIO - E como sabes?
MULHER - Porque um dia passei lá, e tinha um cartaz a dizer: "Fala-se alemão, italiano, francês e espanhol"!

Pontualidade ( Casa )

O José Batanete acaba-se de arranjar e pronto para sair do quarto.
JOSÉ - Até logo, Fifi!
FILIPA - Stop! Eu sei que não tens tempo para discutir comigo. Por isso, a partir de hoje, vamos começar a levantar mais cedo!

Adição ( Escola )

PROFESSORA - Como foi inventado o comboio?
TONINHO - Tudo começou pela locomotiva. Depois foi indo de carruagem a carruagem, até chegar à última carruagem, que foi a última a ser inventada!

Contactos ( Rua )

Num grupo de homens, o Júlio é o escolhido para ir falar com o padre.
JÚLIO - Cometi o pecado da carne.
PADRE - Pecaste com a Susana Santos, que mora na Rua das Bananeiras e que é uma atrevida?
JÚLIO - Não.
PADRE - Então foi com a Rute Silva, que mora na Rua dos Burgos, que se mete com todos...
JÚLIO - Também não...
PADRE - Então só pode ser com a Maria Esteves, que mora na Rua das Batatas, essa é doida por homens...
JÚLIO - Também não.
PADRE - Então?
JÚLIO - Não posso dizer.
PADRE - Então reza dois Pais Nossos.
O Júlio volta para o grupo.
HOMENS - Então? O que conseguiste?
JÚLIO - Dois Pais Nossos e três óptimos contactos para a semana que vem!

O Mal De Manel ( Hospital )

MANEL - Sr. Doutor, eu sou tratado como um cão, corro que nem uma lebre, como que nem um urso e durmo que nem um leão!
MÉDICO - Consulte um veterinário!

Engravidar ( Hospital )

NELSON - Quero saber o que é que eu hei de fazer para a minha mulher não engravidar.
MÉDICO - Deixe-a estar sempre ao pé de si, e nunca a afaste de si!

Graças A Deus ( Casa )

FILIPA - És um mentiroso!
JOSÉ - Não me ofendas! Graças a Deus que eu não sou mentiroso! Não sou um homem de duas caras.
FILIPA - Ainda bem que dás graças a Deus... com uma cara dessas, ainda bem que não tens duas...

Sanduíche ( Bar )

Filme de cowboys:
Chega o Caló, pega em dois queijos e põe debaixo dos braços.
BRUNO - O que é que levas debaixo dos braços, Caló?
CALÓ - Eu não roubei nada, só tenho dois queijos.
JANUÁRIO - (Afasta o Bruno) Caló... o que é que levas debaixo dos braços?
CALÓ - São dois queijos, juro!
PADRE - (Afasta o Januário e pega numa pistola) Caló... o que é que levas debaixo dos braços?
CALÓ - Queijo, padre!
PADRE - (Disparando para os queijos) Comigo é PÃ PÃ QUEIJO QUEIJO!

Bacalhau Com Todos ( Rua )

A Lucinda atropelou o Bacalhau e sai do carro.
Chega uma multidão e perguntam todos à Lucinda se ela está bem.
JEAN JACQUES - (Ao pé do Bacalhau) Tinhas de ser tu, Bacalhau! Já viste o susto que pregaste à rapariga?

Vaidade ( Supermercado )

TÂNIA - Compra o casaco à tua mulher, Passarinho! Olha, as amigas dela vão morrer de inveja!
BÊBADO - Mais uma razão para não comprar o vestido... não quero ser casado com uma assassina.

Bígamo ( Casa )

TONINHO - O que é um bígamo?
JOSÉ - É um homem duplamente estúpido.

O Beijo ( Casa )

FILIPA - O vizinho do lado, quando chega a casa dá sempre um beijinho à mulher dele. PORQUÊ QUE NÃO FAZES O MESMO?
JOSÉ - Porque eu não conheço a senhora, não tenho confiança com ela...

O Jogo ( Bar )

NELSON - Vai uma raspadinha?
ANÍBAL - Não. Eu não jogo. Fiquei traumatizado com a minha 1ª mulher.
NELSON - Era viciada?
ANÍBAL - Demais! Ela até pediu para escrever na campa dela: "Game Over".

O Teste Do Álcool ( Rua )

POLÍCIA - O que é isso que levas dentro do carro?
JEAN JACQUES - Isto? É para fazer malabarismo.
POLÍCIA - Vem-me com histórias. Mostra-me, então!
O Jean Jacques começa a fazer malabarismo.
A Deolinda e a Zulmira estavam a passear, e vêm a figura deles.
DEOLINDA - Ainda bem que nós nunca tiramos a carta. Já viste como é que eles agora fazem o teste do álcool?

Receita Médica ( Hospital )

MÉDICO - Mas quantos copos de vinho você bebe por dia?
BÊBADO - Oficialmente, bebo 4.
MÉDICO - Mas eu não lhe disse só para beber 2?
BÊBADO - Mas eu fui a outro médico, e ele disse para beber 2. Somando, dá 4...

O Suficiente ( Bar )

BÊBADO - Quero um bagaço e um whisky.
BRUNO - Tu não podes fazer misturas! Tu hoje já bebeste o suficiente!
BÊBADO - Então... se não posso fazer misturas, dá-me uma garrafa de suficiente!

X Ao Infinito ( Casa )

TONINHO - O que acontece quando x se estende ao infinito?
LUCINDA - Depende...
TONINHO - De quê?
LUCINDA - Se estiver sol lá no infinito, x seca. Mas se estiver a chuver, molha-se!

Marido Ideal ( Rua )

LUCINDA - Quero um marido forte e bonito!
MANEL - Estou aqui!
LUCINDA - Ainda bem, assim podes ajudar-me a procurá-lo!

O Erro ( Casa )

Ao telefone:
HOMEM - Boa tarde, fala do 214333233?
TÂNIA - Não, fala do 214332323.
HOMEM - Desculpe, marquei mal o número.
TÂNIA - Mas se quiser vir aqui pessoalmente pedir desculpas, podemos transformar este pequeno erro num grande sucesso!

Mãe Querida ( Rua )

MARIA JOÃO - Ó mana, gostei muito do quarto da Inês!
ALICE - Muito obrigada!
MARIA JOÃO - Só não percebo porquê que a cama é muito alta!
ALICE - Isso é porque eu passo muito tempo na cozinha, quero ouvir bem quando ela cair da cama...

O Horto Do Samouco ( Bar )

TONINHO - A minha avó diz que eu nasci de uma couve.
CATARINA - E a minha diz que eu nasci de uma flor!
BACALHAU - E eu, crianças? Nasci de uma couve-flor!

Mentira ( Escola )

TONINHO - Eu juro que estudei a lição!
PROFESSORA - Tão pequeno, e tão mentiroso! Olha que eu na tua idade nunca disse uma mentira!
TONINHO - Então, com que idade é que começou a mentir?

Os Dedos ( Escola )

A Catarina estava com o dedo mindinho no nariz.
PROFESSORA - Catarina! Esse dedo não se mete no nariz!
A Catarina muda para o indicador.
PROFESSORA - Esse dedo também não se mete no nariz!
CATARINA - O polegar não cabe, os do meio não dão jeito, os outros dois, a professora não deixa! Quais são os dedos que eu posso pôr no nariz?

O Encontro ( Casa )

LUCINDA - Tive um encontro com o Maurício!
TÂNIA - Viste-o?
LUCINDA - Sim, e se não me deitasse atrás do carro que estava estacionado, ele também me tinha visto!

O Tanque ( Rua )

Aparece uma mulher muuuuito gorda.
CALÓ - Ó Indalésio, isto não é uma mulher, é um tanque!
MULHER - OLHA LÁ! SE ME VOLTAS A INSULTAR, PARTO-TE OS DENTES E ENFIO-TE UM SACO PELA CABEÇA!
INDALÉSIO - Tens razão, Caló! Um verdadeiro tanque de combate!

Cabaret ( Casa )

ANÍBAL - Um dia
TÂNIA, ZULMIRA, FILIPA - Cala-te! Não comeces com as tuas parvoíces!
ANÍBAL - Um dia, em Londres, um francês pergunta a um inglês: "Onde é que posso encontrar um Cabaret?", e o inglês: "Em Paris!". Ahahahahah!

O Oxigénio ( Escola )

PROFESSORA - Porquê que há mais oxigénio no mar do que no cimo das montanhas?
TONINHO - Porque deve ter medo das alturas...

Estás A Ver ( Casa )

O José Batanete entra no quarto e vê a Fifi com o Januário na cama.
JOSÉ - O que é que vocês estão aí a fazer?
FILIPA - Eu não te disse que o Zé não percebe nada disto? Ele não sabe o que isto é...

A Sinceridade ( Bar )

PADRE - Hoje apetece-me o manjar dos deuses. O que é que me recomenda?
DEOLINDA - Ir almoçar a uma igreja, que aqui não temos nada disso.
PADRE - Era uma forma de expressão! Apetece-me um bifinho, umas batatinhas, para acabar, uma mousse e um bagacinho!
DEOLINDA - É uma questão de se levantar E IR A OUTRO RESTAURANTE!

Cabelo ( Cabeleireiro )

FILIPA - Mas o que é isto? Eu alguma vez te penteei?
MITÓ - Não! Isto era uma cicatriz de uma queda que eu dei quando era pequenina!

Táxi ( Supermercado )

MANEL - Onde é que eu posso arranjar um Táchi? (Táxi)
TÂNIA - Não é Táchi, é Tácsi!
MANEL - Olhe: que se licse!

Bem Casada ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - O seu marido deve ser muita rico!
MULHER - Se ele é rico, a mim o deve!
MARIA JOÃO - O que é que ele era antes?
FILIPA - Era milionário!

A Caixa ( Hospital )

MÉDICO - A dona Tânia já teve alguma coisa na caixa toráxica?
TÂNIA - Não! Tudo o que tenho está na Caixa Geral Agrícola!

Bacalhau ( Bar )

CALÓ - Olha o meu amigo Bacalhau! Já não nos víamos há tanto tempo!
BACALHAU - Tenho vendido muito! Acabei de vender um boneco a 50€.
CALÓ - Então empresta-me 10.
BACALHAU - Mas não tenho 1 cêntimo!
CALÓ - Acabaste de me dizer que vendeste a 50€!
BACALHAU - Troquei por 2 gatinhos de 25!

Análise III ( Hospital )

MÉDICO - Ontem na rua viram a menina Lucinda a escorrer água da cabeça e do cabelo!
LUCINDA - É que eu quando saí de casa fui despedir-me do meu peixinho vermelho!

WC ( Bar )

BÊBADO - Estou muito confuso!
MARY - Porquê?
BÊBADO - Não me lembro onde é que é a casa de banho deste bar! Eheheheheh! Que estupidez, até parece que estou bêbado!

O Herói ( Supermercado )

O Júlio entra no supermercado ferido, e com um pára-quedas na mão.
JÚLIO - O pára-quedas que me venderam estava estragado!
TÂNIA - Parabéns! É o primeiro cliente que vem reclamar de um lote de pára-quedas estragado!

Análise II ( Hospital )

MÉDICO - Lembre-me de uma coisa muito longa e muito dura.
LUCINDA - Pensar.

Ai Estes Concessionários ( Rua )

A Mary estava, com uma corda, a puxar o carro.
POLÍCIA - O que se passa? Avaria?
MARY - Não, é novo, o vendedor disse que tinha de puxar por ele.

Análise I ( Hospital )

MÉDICO - A sua avó ontem viu-a a correr com um balde de água na mão!
LUCINDA - Pois... eu sou uma menina do meu tempo, gosto de ter água corrente!

Os Tempos Verbais ( Escola )

PROFESSORA - "Eu tenho muitos sonhos" é presente, passado ou futuro?
RICARDO - Presente.
PROFESSORA - Catarina, "Tu gostas de estudar" é...
CATARINA - Um dos sonhos da professora.

A Lâmpada ( Supermercado )

LUCINDA - Eu sei muito bem pôr uma lâmpada!
MANEL - Então como é que vais pôr?
LUCINDA - Duh! Estico o braço e o mundo gira à minha volta!

Manada ( Rua )

INDALÉSIO - Sabe como é que se mata uma manada?
DEOLINDA - Não.
INDALÉSIO - Tira-se o MA e fica NADA!

À La Carte ( Bar )

MARY - E para acompanhar a b'jeka, o que é que vai ser?
NELSON - Pode ser uma fatia de tortilha.
MARY - À francesa ou à espanhola?
NELSON - Tanto faz, é para comer, não é para conversar...

O Animal ( Escola )

PROFESSORA - Qual é o animal que ao acordar emita sons, que acordam as pessoas?
TONINHO - O meu pai.

Dúvida ( Casa/Rua )

O José Batanete, na rua, telefona à Fifi, que está na cama com o Januário.
FILIPA - Sim?
JOSÉ - É para saber se estás melhor da tua cabeça!
FILIPA - Estou.
JANUÁRIO - Quem é?
JOSÉ - Eu estou a ouvir a voz de um homem...
FILIPA - É que um ladrão entrou no meu quarto, despiu-se... e o que é que eu faço?
JOSÉ - Faz o que costumas fazer comigo, diz que estás com dores de cabeça e que não te apetece!

Capuccino ( Bar )

ANÍBAL - Bruno! Este café tem dois cabelos!
BRUNO - O que é que você quer? Por 50 cêntimos queria que eu trouxesse um capachinho?

Grande Peixe ( Rua )

INDALÉSIO - A melhor pescaria que tive na minha vida!
ZULMIRA - Pescaste um sapato...
INDALÉSIO - Mas é grande e fresquinho!

Isso Não Se Faz! ( Escola )

PROFESSORA - O que é que aprendeste hoje no jardim zoológico?
CATARINA - Que a girafa consegue ser mais escanzelada que a professora.
PROFESSORA - Isso não se diz!
CATARINA - Pronto, a professora é mais escanzelada que a girafa!

Táxi! ( Hospital )

ANÍBAL - O que é que eu tenho?
MÉDICO - O sr. Aníbal está muito mal, mesmo muito mal! Todos os órgãos do seu corpo mal funcionam!
O sr. Aníbal foge.
Na rua:
ANÍBAL - Táxi! Táxi!
E passa uma carrinha funerária!

Casar ( Casa )

LUCINDA - Eu não quero casar já. Se calhar, quando casar vou fazer muitos homens infelizes...
ZULMIRA - Mas tu estás a pensar em casar com quantos?

Eva ( Rua )

DEOLINDA - Acha que Eva amava Adão?
MADRE - Não. Eva achava que os homens eram todos iguais!

Minha Sogra, Meu Amor ( Casa )

ZULMIRA - Estás a gozar comigo?
JOSÉ - Acha?
ZULMIRA - Cala-te! Não me faças ir longe demais!
JOSÉ - Vá... e fique por lá.

O Atraso ( Escola )

PROFESSORA - Porquê que chegaste atrasado?
TONINHO - Porque vim de bicicleta.
PROFESSORA - Mais uma razão para vires mais depressa.
TONINHO - Mas eu encontrei uma placa: "ESCOLA - Conduza devagar".

Turbo Diesel ( Bar )

BÊBADO - Este vinho é mesmo um turbo diesel!
BRUNO - Aproveita, que estás atestado, e vai para casa a 120Km!
BÊBADO - Pois, mas tenho um problema! Depois de manhã nunca sei onde é que estacionei os sapatos!

Religião ( Casa )

TONINHO - Os leões quando morrem vão para o céu?
ANÍBAL - Não.
TONINHO - E os padres?
ANÍBAL - Vão.
TONINHO - E se um leão comer um padre?

O Acidente ( Rua )

A Lucinda (no carro) atropela o Bruno e batem numa árvore.
LUCINDA - Opah, fogo para o carro! Ó Bruno, já que estás aí, vê se está a deitar óleo!

A Genética ( Hospital )

MÉDICO - A Maria João tem algum caso de loucura na sua família?
MARIA JOÃO - Sim. A minha irmã acha que se casou com um milionário.

Batman ( Rua )

O Bêbado olha para o Padre a treinar karaté.
Levanta-se, dá um pontapé nos c******.
O Padre cai para o chão.
BÊBADO - Anda, Batman! Levanta-te se és homem!
O Padre levanta-se, a queixar-se.
O Bêbado dá outro excerto de porrada!
O Padre fica K.O.!
O Bêbado ganhou o combate!

Sopa De Carne ( Bar )

CALÓ - Está uma mosca na minha sopa.
BRUNO - Não é!
CALÓ - Estás a dizer-me que esta coisa preta com asas e patas não é uma mosca?
BRUNO - Não é isso! Essa coisa que vorcê prensa que é uma sorpa de crane, é água de lavar os partos!!

Casamento ( Rua )

O Januário diz uma coisa ao ouvido da Mary.
MARY - Estás maluco? Eu sou muito nova para me casar!
JANUÁRIO - Então devolve-me o anél.
MARY - Não devolvo nada! Já devias estar a agradecer-me por eu não querer casar-me contigo! Estou a ser muito tua amiga!!

É Mentira! É Mentira! ( Cabeleireiro )

HENRIQUETA - As mulheres são todas umas mentirosas!
MARIA JOÃO - Os homens mentem com quantos dedos têm!
FILIPA - Errado! Hoje em dia, todos os homens e mulheres mentem! Mas as mulheres são mais bem sucedidas!

Max ( Rua )

BRUNO - Estás a tentar vender-me um cão por 200 aérios? É um roubo!
JEAN JACQUES - Mas o Max fala! É um querido!
BRUNO - O Marx fala? Estás pravo? Os cães não falam!
JEAN JACQUES - Fala, Max!
MAX - Olá, Bruno! O meu nome é Max, pá! Tenho montes de contratos assinados, para ganhar dinheiro; tenho 56 filhos; apareci no Jornal Nacional, e vou para a Quinta das Celebridades.
BRUNO - Espectáculo! E porquê que te queres ver livre desta preciorzidade?
JEAN JACQUES - Porque estou farto de ouvir mentiras!

O Fado! ( Bar )

JANUÁRIO - Os animais são muito espertos!
Os animais são muito espertos!
São muito espertos os animais!
Os cavalos nunca apostam nos homens!
MANEL - É muito fácil ser honesto!
É muito fácil ser honesto!
É muito fácil ser honesto!
Porque há pouca confiança!
BACALHAU - Uma rapariga que se lê!
Que se lê uma rapariga!
Acaba sempre numa biblioteca!
Acaba sempre numa biblioteca!
Numa biblioteca ambulante!
Numa biblioteca ambulante!
BRUNO - Vocês sabem o que eu vi?
Lá para os lados de Lisboa!
Uma velha muita velha!
Com uma neta toda boa!
DEOLINDA - 50% dos homens sofrem, de complexa inferioridade. Os outros são solteiros.

O Prato Do Dia ( Bar/Casa )

No bar:
BRUNO - Porquê que o senhor José não come ca gente? A Merly está a fazer um cozirdo à proturguesa, mas à moda do Canadá!
JOSÉ - É muito bom, mas em casa, hoje tenho o meu prato predilecto.
O José vai para casa.
Em casa:
JOSÉ - Ó querida! Estou cheio de fome! Onde é que está o meu prato predilecto?
FILIPA - Está aqui, queres? [Atira o prato contra o José]
No bar, o Bruno está a ver Os Batanetes, e fartou-se de rir.

Uma Criança Bem Mandada ( Casa )

A Tânia está a tentar baixar o som alto da televisão.
Entra o Toninho com um balde de água.
ANÍBAL - Ó Toninho, para que é esse balde de água?
TONINHO - É para tentar apagar a televisão, que está a incomodar a tia. Já lhe deitei nove baldes de água, mas a televisão ainda continua acesa...

Sangue Na Estrada ( Rua )

A professora Alice foi atropelada, quando o Bêbado e a Teresa estavam no carro que a atropelou.
POLÍCIA - [Que maçada!! Paciência!] Sr. Inácio, o sr. era dono e senhor das suas acções quando sucedeu o acidente?
BÊBADO - Não, eu vinha com a minha mulher.

Rico Pai ( Bar )

DEOLINDA - Januário... queres ser pai dos meus filhos?
JANUÁRIO - E quantos filhos tem a Deolinda?

Roubalheira ( Rua )

MALUCA - Ó Vítor, quantos peixes pescaste ontem?
INDALÉSIO - Três.
MALUCA - Então porquê que a peixeira pôs 5 na conta?

O Maurício ( Casa )

FILIPA - Foste com o Maurício ao cinema?
LUCINDA - Estou farta dele! Quero vê-lo à distância.
FILIPA - Fácil... casa-te com ele.

O Gato ( Rua )

O Bacalhau estava a passear na rua.
PADRE - Olá... gato!
BACALHAU - Gato? O gato gosta de leite, o leite vem da vaca, o marido da vaca é o boi. Você está a chamar-me corno?

Cornos ( Hospital )

JOSÉ - Senhor doutor... tenho um problema.
MÉDICO - Qual?
JOSÉ - A minha mulher pôs-me os cornos... mas eles não me nascem, será falta de cálcio?

Pessoa Feia ( Rua )

BÊBADO - Senhora Alice, quem era aquela senhora tão feia que você estava a falar?
ALICE - Era a minha irmã gémea.
BÊBADO - Ai, desculpe! Não me tinha apercebido que eram as duas iguais!

Saudação ( Bar )

Entra uma mulher toda feia na tasca.
JANUÁRIO - Dá um beijinho à senhora, Catarina!
CATARINA - Porquê? Ainda não fiz nenhuma maldade, hoje...

Bombas Atómicas ( Rua )

BRUNO - Tenho medo que caia uma bomba atómica no nosso país!
MARY - A mim não me acontece nada!
BRUNO - Mas pode caír em tua casa.
MARY - Não te preocupes, eu nunca estou em casa...

Tempo ( Casa )

JÚLIO - Tu vais ficar um tempo sem me ver.
LUCINDA - Vais viajar?
JÚLIO - Não.
LUCINDA - Estás zangado comigo?
JÚLIO - Não.
LUCINDA - Então?
JÚLIO - Vira-te de costas para mim.

O Bruno ( Rua )

ZULMIRA - Ó DEOLINDA!
DEOLINDA - O que foi???
ZULMIRA - Estão lá em baixo a dizer que o Bruno fugiu com a tua sobrinha Mary!
DEOLINDA - Que susto que tu me pregaste! Estava a ver que ele tinha fugido com o dinheiro da caixa!!

Marcha Húngara ( Cabeleireiro )

FILIPA - Gostou de ouvir a Marcha Húngara, ontem?
MULHER - Sim.
FILIPA - A senhora é húngara?
MULHER - Não. Sou música profissional.

Assalto ( Supermercado )

Entra o Caló com uma boneca (Pituxa) numa mão, e a pistola na outra.
CALÓ - MÃOS AO AR! ISTO É UM ASSALTO! OU FICAM PARADOS, OU A PITUXA MORRE!
MANEL - NÃÃÃÃO! PITUXA NÃO!
CALÓ - PÁRA DE BERRAR, OU A PITUXA MORRE!
MANEL - TUDO MENOS A PITUUUUXXAAAAA!
CALÓ - Então fazemos assim. Trocamos a Pituxa pelo telefone.
TÂNIA - Pegue o telefone!!!
CALÓ - Estou, mulher...? O que é que precisas hoje para o jantar?... vamos comer restos? Ok!
Desliga o telefone.
CALÓ - Está tudo bem, xau!

Inteligência ( Cabeleireiro )

FILIPA - O meu amorzinho porco ( Toninho ) era muito esperto.
HENRIQUETA - Porquê?
FILIPA - Aos 6 meses já sabia andar, mas preferia andar ao colo.

Dar A Mão ( Rua )

Uma velha dá em voz baixa um conselho ao Jean Jacques.
JEAN JACQUES - Ó sr. José, podia-me dar a mão da sua filha?
POLÍCIA - Não dou a mão da minha filha.
A velha volta a falar em voz baixa.
JEAN JACQUES - E a mão da sua irmã?
POLÍCIA - Também não. Nem da minha filha nem da minha irmã.
A velha volta a falar em voz baixa.
JEAN JACQUES - O sr. José dá-me 50 aérios?
POLÍCIA - OLHA QUE EU SOU POLÍCIA!!!
O Jean Jacques começa a chutar a velhota.
JEAN JACQUES - A DIZERES-ME QUE OS TEUS CONSELHOS FUNCIONAVAM! TU JÁ ESTÁS VELHA!! À MINHA FRENTE, JÁ!

Casamento ( Bar )

BACALHAU - Vou casar com o Abdul.
DEOLINDA - Não podes.
BACALHAU - Porquê?
DEOLINDA - Porque esse gajo é muçulmano e você é católico.

Morango ( Supermercado )

TERESA - Tem preservativos de morango?
TÂNIA - São para ti?
TERESA - Não, são para o meu marido.

Caçada ( Rua )

DEOLINDA - Onde foste?
INDALÉSIO - Fui à caçada.
DEOLINDA - Como é que correu?
INDALÉSIO - Melhor que o ano passado. Não cacei nada.
DEOLINDA - Mas sendo assim, correu mal...
INDALÉSIO - Não... os meus amigos escaparam todos com vida...

Prazer Em Conhecer-te! ( Cabeleireiro )

FILIPA - O meu livro está a ser um sucesso. Vou fazer nova edição, mas com um capítulo zoodíaco. O que é que as pessoas dizem depois do sexo, consoante o signo?
MARIA JOÃO - Carneiro.
FILIPA - Vamos a outra?
MARIA JOÃO - Touro.
FILIPA - Estou com fome, vou comer uma sopinha.
MARIA JOÃO - Gemeos.
FILIPA - Viste o comando da TV?
MARIA JOÃO - Caranguejo.
FILIPA - Quando é que casamos?
MARIA JOÃO - Leão.
FILIPA - Foi fantástico, não foi?
MARIA JOÃO - Virgem.
FILIPA - Tenho de lavar os lençóis.
MARIA JOÃO - Balança.
FILIPA - Gostaste? Eu também gostei.
MARIA JOÃO - Escorpião.
FILIPA - Acho que é melhor desamarrar-te.
MARIA JOÃO - Sagitário.
FILIPA - Não telefones, eu depois ligo-te.
MARIA JOÃO - Capricórnio.
FILIPA - Tens um cartão de visita.
MARIA JOÃO - Aquario.
FILIPA - Vamos repetir, mas agora sem roupa.
MARIA JOÃO - Peixes.
FILIPA - Como te chamas?
MARIA JOÃO - Maria João.
FILIPA - ESTÚPIDA!

Cangurú ( Escola )

PROFESSORA - De que família pertence o cangurú?
TONINHO - Da minha não é de certeza, lá em casa ninguém tem jeito para saltar...

Profissional ( Supermercado )

MANEL - Não sou um profissional?
TÂNIA - Não. És um amador.
MANEL - Fique sabendo que a Arca de Noé foi feita por amadores, e o Titanic foi feito por profissionais.

Amizade ( Rua )

CALÓ - Deixas-me dar um beijinho na coisa que mais gostas?
LUCINDA - Sim, deixo: vais ao supermercado da minha tia Tânia, e dás um beijo no pénis do Manel.

Viúvo ( Bar )

HOMEM - Continuas casado?
ANÍBAL - Não. Sou viúvo.
HOMEM - Desde quando?
ANÍBAL - Desde o dia em que a minha última mulher morreu.

Canalizador ( Escola )

PROFESSORA - Quero que o teu pai me venha fazer uma visita amanhã.
RICARDO - Está bem, mas aviso-a desde já que ele é canalizador e leva 50€ por cada visita.

Desempregado ( Rua )

BÊBADO - Estou desempregado.
ZULMIRA - Desde quando?
BÊBADO - Desde que a minha falecida mãe faleceu.
ZULMIRA - E quando é que foi isso?
BÊBADO - Quando eu nasci, ela morreu ao dar-me à luz.

Elefante ( Bar )

INDALÉSIO - Um elefante caíu no lago... como é que o vou tirar?
ANÍBAL - Não sei!
INDALÉSIO - Molhado.

Imprevisto ( Escola )

PROFESSORA - O que é um pêndulo?
CATARINA - Uma coisa que vai e vem.
PROFESSORA - Então quer dizer que o comboio Lisboa-Porto é um pendulo...
CATARINA - Pois... se não descarrilar...

A Dor ( Rua )

INDALÉSIO - Ai! Dói-me aqui!
MALUCA - Porquê que não vais para ali?

O Drama Da Lucinda ( Casa )

ZULMIRA - É horrível, ainda não trabalhas!
LUCINDA - Pois é, horrível!
ZULMIRA - Ainda bem que concordas comigo.
LUCINDA - Pois... já viu que, uma pessoa que não trabalha não pode tirar férias?

Pontos ( Escola )

PROFESSORA - Quais são os 4 pontos cardeais?
TONINHO - Os 4? Caridade, esperança e fé.

Pedras ( Rua )

PADRE - O que é que estás a fazer?
HENRIQUETA - Estou a mandar pedras a esta senhora, ela foi estúpida comigo.
PADRE - Não faças isso! Tu nunca erraste?
HENRIQUETA - A esta distância não.

Dinheiro ( Bar )

INDALÉSIO - O que é que fazias se alguém dissesse que não tinha dinheiro para pagar a conta?
BRUNO - Dava um pontapé no cu, que ia parar ao outro lado da rua.
INDALÉSIO - (A virar o rabo para o Bruno) Então podes começar a cobrar, e fica com o troco.

A Penitência ( Rua )

O padre está com os braços abertos, na forma de cruz.
CALÓ - Muito bem, senhor padre! A penitência é muito bonito!
PADRE - Isto não é nada disso! Isto é o resultado da minha estúpidez. Em vez de pôr desodorizante, pus laca.

Tratamento ( Casa )

TONINHO - Ó pai, o que é que andas a fazer à mãe, que de noite ela está sempre a gritar?
JOSÉ - Ela às vezes está doente, e eu tenho de lhe dar uma injecção.
TONINHO - Ela deve estar muito doente... o carteiro hoje teve de lhe dar outra injecção...

De 1 a 100 ( Rua )

NELSON - Olá minha jóia! Como te chamas?
CATARINA - O meu irmão não gosta que fale com os rapazes desconhecidos mais velhos.
NELSON - E faz muito bem, mas que idades julgas que eu tenho?
JANUÁRIO - Ó sr. Nelson, deixe lá isso, que a miúda ainda só aprendeu a contar até 100.

Declare O Seu Amor Com Flores ( Supermercado )

ANÍBAL - Tens rosas encarnadas?
MANEL - Boas para as mulheres que nos dão dentadas.
ANÍBAL - E violetas?
MANEL - Óptimas para as ceguetas.
ANÍBAL - E rosas em raminhos?
MANEL - Giras para as que nos dão miminhos.
ANÍBAL - E cardos?
MANEL - Cardos não tenho.
ANÍBAL - Então o que é que vou oferecer a uma masoquista?

Noite Com Maurício ( Casa )

ZULMIRA - Como é que foi a tua noite com o Maurício?
TÂNIA - Não me lembres coisas tristes...
ZULMIRA - Que se passou?
TÂNIA - Ele estava com dores no estômago... levei-lhe um copinho de leite à cama.
ZULMIRA - Deus me livre! E depois?
TÂNIA - Ele estava com insónias, e estive a contar-lhe carneiros até adormecer.

O Regresso Da Lucinda ( Casa )

FILIPA - Que bom, José Batanete, encontraste a Lucinda! ONDE É QUE TE METESTE?
LUCINDA - Estava no Aeroporto.
FILIPA - E como é que a encontraste, no meio de tanta gente, José?
JOSÉ - Fácil, a Lucinda era a única pessoa que estava a dar milho aos aviões.

Dinheiro ( Casa )

JOSÉ - Não acredito que me tivesses proibido de dar a mão da Lucinda ao Manel.
FILIPA - Esse gajo não quer a Lucinda, só quer o dinheiro da Lucinda.
JOSÉ - Não é nada disso! Ele é um moço porreiro. Ele queria a Lucinda, nem que ela fosse a mulher mais pobre de Portugal.
FILIPA - Vês? Ele ainda é mais imbecil do que eu pensava...

Copo ( Bar )

BRUNO - Esse copo é o único parzer que tens na vida, não é?
BÊBADO - Não! A jarra ainda vai a meio!

Erro ( Casa )

TONINHO - A professora já recebeu a tua carta de protesto por me mandar escrever 100 vezes a palavra "tubercolose".
JOSÉ - E então?
TONINHO - E ela mandou-te escrever 200 vezes a palavra "cumprimentos". É que tu escreveste com "o", sabias?
JOSÉ - Com "u"? Ai! Onde é que isto vai parar...

Problemas De Álcool ( Bar )

ADVOGADO - Ouvi dizer que ontem o senhor foi preso por causa do álcool.
BÊBADO - Pois foi! Os gajos que me prenderam estavam completamente embriagados!

Aumento ( Rua )

MANEL - Lucinda, o meu ordenado aumentou 20 érios, já podemos casar!
LUCINDA - Não, não! Eu não caso com tão pouco.
MANEL - Mas há coisas mais importantes que o dinheiro...
LUCINDA - Mas é com o dinheiro que se consegue essas coisas.

Batanete ( Rua )

O José Batanete estava a apalpar a Maria João e a ameaçar de que seria presa.
MARIA JOÃO - Pare! Já é a 5ª vez que me mostra como é que apanhou o ladrão.

Matrícula ( Casa )

LUCINDA - Que tatuagem de uma matrícula tão gira que tens nas tuas costas!
JÚLIO - Não é tatuagem, isto foi um acidente de quando eu vinha para cá. Estava a apertar os cordões na rua, e um carro deu-me com a matrícula nas costas!

Um Nome Conhecido ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - Olhe uma cliente nova, dona Fifi!
FILIPA - Atende!
MARIA JOÃO - O que é que a senhora quer?
VELHA - Cortar o cabelo.
MARIA JOÃO - E como se chama?
VELHA - Florbela Espanca.
MARIA JOÃO - Muito bem, um nome conhecido!
FILIPA - Pois... esta senhora vive no Samouco há mais de 10 anos!

Telemóveis De 4ª Geração ( Rua )

LUCINDA - Ó Mitó, tens de comprar um telemóvel destes.
MITÓ - Mas o meu ainda está bom.
LUCINDA - Mas este tem internet, tira fotografias, mandas sms, tem ecran a cores e toques polifónicos. Só não sei se dá para fazer chamadas.
MITÓ - Eu resolvo já isso. Ó dona Henriqueta! Esse telemóvel dá para fazer chamadas?
HENRIQUETA - Não, filha! Dá para tirar fotografias, não é isso que interessa?

O Papagaio ( Supermercado )

CALÓ - Este papagaio está estragado.
MANEL - O que é que tem?
CALÓ - NUNCA SE CALA! É UM BUFO!

Risco Ao Meio ( Cabeleireiro )

HENRIQUETA - Quero que me faças um risco ao meio.
FILIPA - Com tinta permanente ou esferográfica?

Prendas ( Rua )

NELSON - Deolinda, antes de casares, o teu marido dava-te prendas?
DEOLINDA - Não, eu antes de casar não tinha marido!

Ovos ( Bar )

CARLA - O que é que me aconselhas: uma omolete ou um ovo estrelado?
BRUNO - Ovos estrelados não, porque os ovos não estão fescros. Coma uma omoleta?
CARLA - Mas os ovos não estão frescos...
BRUNO - Mas esta omoleta não tem ovos!

Sobreviver ( Supermercado )

TERESA - Este país está uma miséria! Estes preços estão caríssimos!
MANEL - Pois! A dona Tânia não consegue viver com 2000 érios por mês!
TÂNIA - Neste país ninguém consegue! Eu não sou diferente das outras pessoas!
TERESA - Mas porquê que não consegue viver com 2000€ por mês?
TÂNIA - Porque não os tenho!
MANEL - AGORA VÁ-SE EMBORA! FILHA DA MÃE, MULHER DE UM BÊBADO!

Segredo ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - Quanto tempo é que as mulheres conseguem guardar um segredo?
FILIPA - Depende da distância que estiver o telefone.

O Baile ( Escola )

PROFESSORA - O próximo que falar, dança.
A Catarina levanta o braço.
PROFESSORA - Podes falar.
CATARINA - 1º - Dançar... o quê?, 2º - Com quem?, 3º - O quê?, é que eu não danço qualquer coisa, nem com qualquer um!

A Entrevista ( Supermercado )

LUCINDA - Ó tia, dás-me emprego?
TÂNIA - Só dou se me responderes a um inquérito: Nome completo.
LUCINDA - Lucinda Maria Lucas Batanete.
TÂNIA - Idade.
LUCINDA - 18.
TÂNIA - Sexo.
LUCINDA - Dez vezes por semana, mais ou menos.

Descubra As Diferenças ( Rua )

O José Batanete está abraçado à Mitó.
Chega a Filipa.
FILIPA - Ó JOSÉ BATANETE! O QUE É QUE ESTÁS A FAZER?
JOSÉ - O quê? Estou abraçado à Mitó?
FILIPA - Quem é que pensavas que era?
JOSÉ - Como são as duas loiras, pensei que eras tu...

Peão ( Escola )

PROFESSORA - O que é um peão?
CATARINA - É uma pessoa que atravessa a rua pela última vez. Duh!

A Plástica ( Rua )

ANÍBAL - Encontrei uma mulher boa como o milho, mas era muita feia!
CALÓ - E então?
ANÍBAL - Um dia pediu-me dinheiro para fazer uma plástica, e caí como um pato.
CALÓ - E porquê que não vais procurá-la e pedir o dinheiro?
ANÍBAL - Porque nunca mais a encontrei, deve ter ficado irreconhecível...

Faz De Conta ( Bar )

BÊBADO - Que cheiro é este?
BRUNO - Bifres para pergos. A dona Deolindia está a fazer o almoço.
BÊBADO - Então dá-me aí um pão.
O Bruno dá um pão e o Bêbado começa a comer.
BRUNO - O que é que estás a fazer?
BÊBADO - Estou a fazer de conta que como o bife no pão. Quanto é?
BRUNO - 20 cêntimos.
O Bêbado dá 1€. O Bruno brinca com a moeda.
BÊBADO - O que é que estás a fazer?
BRUNO - Olha, estou-te a dar torco!

O Sinal ( Escola )

PROFESSORA - O que é que tenho aqui no pescoço?
TONINHO - Um sinal.
PROFESSORA - E o que é um sinal?
TONINHO - Uma imperfeição na pele que as mulheres nos obrigam a admirar.

Marco De Correio ( Casa )

LUCINDA - Xau, avó, vou pôr a carta no correio.
ZULMIRA - Mas olha, não tem selo...
LUCINDA - Eu nunca ponho selo.
ZULMIRA - Então como é que fazes?
LUCINDA - A avó chega ao pé do marco de correio, e começa a assobiar para disfarçar. E quando não estiver ninguém a passar, ZÁS! Enfia a carta na ranhura do correio. Nunca fui apanhada!

Esperança ( Rua )

PADRE - Então? Como vai a tua sogra?
POLÍCIA - Já não há esperança!
PADRE - Vai morrer?
POLÍCIA - Não, ainda vai durar muitos anos.

Beckham ( Casa )

Ao pequeno almoço:
ANÍBAL - Ó Tânia, sabes o que é que o Ricardo perguntou ao Beckham, antes de ele falhar o penalty contra Portugal?
TÂNIA - Não.
ANÍBAL - Olha lá, são 10 da noite. Sabes onde é que está a tua Victoria, a tua Spice Girl?
TÂNIA - MAL CRIADÃO!
FILIPA - SEU MACHISTA!
ZULMIRA - EU ACHO QUE NÃO SAIS DA MESA SEM ANTES LEVAR UMA GRANDA TAREIA!
FILIPA - SABES O QUE É QUE EU ACHO? QUE NÃO GOSTAS DE MULHERES!

A Caneta ( Escola )

PROFESSORA - Catarina, estou a reconhecer a letra do teu irmão nos teus trabalhos.
CATARINA - É natural, eu usei a caneta dele...