O Sapatinho ( Quarto )

A Lucinda está sentada na cama, a olhar para os sapatos...
LUCINDA - Que chatisse... não me lembro... será que eu estava a levantar-me ou a deitar-me??

 

Cindita ( Rua )

O Manel chega ao lugar marcado com a Lucinda...
... mas a Lucinda não estava.
Mas ela deixou uma carta:
"MANEL,
PASSOU MEIA HORA
PASSOU UMA HORA
PASSOU O JEAN JACQUES
...
Lucinda"
(tem uma piada...)

 

Pulso ( Hospital )

MÉDICO - O seu pulso está muito lento.
BACALHAU - Não faz mal, eu não tenho pressa.

 

Queda ( Hospital )

A Teresa entra no Hospital com o bêbado todo magoado.
MÉDICO - O que se passou?
TERESA - É o meu marido. Caíu da escada abaixo. Ou melhor: eu caí, ele riu-se!

 

Cúmulo da Pequenez ( Rua )

JANUÁRIO - Sabes qual é o cúmulo da pequenez?
LADRÃO - Não.
JANUÁRIO - É uma pessoa ter que subir um escadote para passar por baixo da porta.

 

Acto mal feito ( Bar )

BRUNO - O que é que o Sr. Nelson fez?
NELSON - Apaguei o cigarro no pires e meti a beata na chávena do café...
BRUNO - SE AS PESSOAS CONTINUAM A APAGAR O CIGARRO NO PIRES E A METER A BEATA NO CAFÉ, EU VEJO-ME OBRIGADO A SERVIR O CAFÉ NO CINZEIRO!!!!

 

Oportunidade ( Casa )

ANÍBAL - Olha o meu Toninho a estudar!!! Olha, se tiveres uma boa nota eu dou-te uma moeda de 50 cêntimos novinha em folha.
TONINHO - Preferia que me desse uma nota de 50 euros velhinha e rasgada.

 

Multa ( Rua )

O polícia manda o Bacalhau parar o carro.
POLÍCIA - Aaah és tuuu!!!! Eu já ando de olho em ti há muito tempo...
BACALHAU - Ah! E eu a pensar que o sr. Agente Batanete me queria multar. O Batanete é malandro.

 

O Par Ideal ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - Não sei qual deles escolho para meu namorado!
FILIPA - Tens de ver os defeitos de cada um...
MARIA JOÃO - Olha. Um é novito mas tem um carro muito velho. O outro tem um carro novo em folha... mas é muito velho!

 

Beijo ( Bar )

O Januário repara que a Catarina está a olhar para um casal a beijar-se, e tapa-lhe a cara.
CATARINA - Mano, o que é que eles estão a fazer?
JANUÁRIO - Eles estão... humm.... hã..... estão a beijar-se.
CATARINA - Que mal que se beijam, sinceramente.

 

Médico ( Rua )

TÂNIA - Porque é que estás tão contente?
MARIA JOÃO - Eu fui ao médico... ele é tão sexy!!
TÂNIA - O que é que o Dr. disse?
MARIA JOÃO - Disse que sim! =D

 

Romântico ( Rua )

Um carro está a andar de marcha atrás e bate numa árvore.
LUCINDA - Que romântico, Jean Jacques! Isto é que é um beijo como deve ser!

 

Cúmulo ( Hospital )

MÉDICO - Senhor Nelson Providência. Vai uma adivinha?
NELSON - Pode ser. :(
MÉDICO - Qual é o cúmulo da magreza?
NELSON - Não sei. :(
MÉDICO - É uma rapariguita comer uma ervilha e pensar que está grávida.
NELSON - E o meu problema da obesidade? :(
MÉDICO - Mas eu estou-me nas tintas para o seu problema!
NELSON - Ando cheio de gases... :(
MÉDICO - Por amor de Deus... deixe lá os gases, ahaahhah... quero lá saber!

 

Peso ( Hospital )

MÉDICO - Qual foi o seu peso máximo?
NELSON - 100 quilos.
MÉDICO - E o mínimo?
NELSON - Foi quando nasci. Tinha 3 quilos e 200.

 

O Quê? ( Rua )

O Jean Jacques está a "gritar" para uma mulher que está na varanda dum prédio.
JEAN JACQUES - Oi. Tudo joice?
MULHER - Quê?
JEAN JACQUES - Tu és muita linda!
MULHER - Quê?
JEAN JACQUES - Eu adoro-te!
MULHER - Quê?
JEAN JACQUES - Eu amo-te!
MULHER - Quê?
JEAN JACQUES - Queres córtir comigo?
MULHER - Quê?
JEAN JACQUES - Epah, até logo!

 

A Vida de Toninho ( Casa )

No jantar...
TONINHO - Pai, preciso que me dês 50 euros.
JOSÉ - 50 euros, mas tu estás maluquinho da cabeça?
ANÍBAL - Olha lá, será que o teu filho já se droga?
LUCINDA - Arranjaste uma miúda?
ZULMIRA - Vai a pé, que tens bom corpo.
FILIPA - É para bolos... ele é muito goloso.
TÂNIA - Havias de ser meu filho, que levavas um estalo como ela a tua irmã.
TONINHO - Está bem, está bem... mas depois quero ver o que acontece quando eu for assaltado e disserem: "O DINHEIRO OU A VIDA!".

 

Pesadelo ( Casa )

A Filipa acorda e dá um estalo ao José.
JOSÉ - O que se passou?
FILIPA - Olha lá. Se eu torno a sonhar que andas metido com a porra da Henriqueta, eu ponho-te na rua, hein?

 

Giz ( Escola )

O Toninho escreve no quadro o que a professora dita.
PROFESSORA - Ouve lá, porque é que estás a escrever tão rápido?
TONINHO - Porque o giz está quase a acabar.

 

Inteligência ( Casa )

JOSÉ - Não sei porque é que me pediste conselhos e depois fizeste precisamente o contrário...
FILIPA - Porque as mulheres são suficientemente inteligentes para pedir conselhos a um homem, mas raramente é suficientemente estúpida para os seguir.

 

Catástrofe ( Rua )

JANUÁRIO - Porque é que estás a beber?
BÊBADO - Por causa dos desastres que vêm no jornal.
JANUÁRIO - O que se passou?
BÊBADO - Houve um grande desastre nos caminhos de ferro.
JANUÁRIO - Como?
BÊBADO - A minha sogra veio a minha casa.

 

Aníbal ( Rua )

ANÍBAL - Gosto de ti.
TRAVESTI - Eu também.
ANÍBAL - Quero-te beijar.
TRAVESTI - Eu também.
ANÍBAL - Chamo-me Aníbal.
TRAVESTI - Eu também.

 

Napoleão ( Escola )

PROFESSORA - Catarina. Em poucas palavras, fala-me da vida de Napoleão Bonaparte.
CATARINA - Napoleão nasceu, fez o que tinha a fazer e morreu.

 

Reflexão ( Bar )

DEOLINDA - A tua neta tornou-se numa menina muito reflectida.
ZULMIRA - Um espelho...

 

Afinal... ( Rua )

HOMEM - A sua mulher não me sai da cabeça!
POLÍCIA - Afinal andas com olho posto na minha mulher!!!!
HOMEM - Não! Eu quando penso em casar, penso logo na sua mulher. Fico logo com medo que me saia uma igual na rifa!

 

Jarras ( Supermercado )

BACALHAU - Quando custam estas duas jarras?
TÂNIA - Por ser para ti, levas as duas por 50€.
BACALHAU - E se eu levar só esta?
TÂNIA - Pagas 30€.
BACALHAU - Então levo a outra.

 

Nevoeiro ( Bar )

ADVOGADO - Londres é a cidade que tem mais nevoeiro.
ANÍBAL - Eu discordo. Uma vez estive numa cidade que tinha muito mais nevoeiro que Londres.
ADVOGADO - Não pode ser! Qual era a cidade?
ANÍBAL - Não sei. Estava tanto nevoeiro que nem se conseguia ler o nome da cidade.

 

Perigo ( Supermercado )

A Tânia e o Dr. Câmara estão a acariciar-se.
TÂNIA - Ai! O Dr. Câmara é um perigo! Engana as mulheres todas.
CÂMARA - Ah... Não sabia... desde que me casei, a dona Tânia é a primeira mulher que eu estou a enganar...

 

O Engate ( Bar )

O Nelson manda o Bruno entregar um papel à Lucinda.
Bruno leva o papel à Lucinda.
A Lucinda fala ao ouvido de Bruno e entrega-lhe o papel.
O Bruno chega ao pé do Nelson, dá o papel e UM SOCO BEM DADO NA CABEÇA.

 

Horas ( Rua )

MALUCO - Que horas são?
JANUÁRIO - Não sei.
MALUCO - Ah... pensei que era mais tarde.

 

Certeza ( Cabeleireiro )

FILIPA - Então o Bruno, já se decidiu?
MARY - Já. Agora tenho a certeza que se casa comigo.
FILIPA - Porquê?
MARY - Já está na fase em que não me liga nada...

 

A Entrega ( Rua )

JEAN JACQUES - Mitó Pupa... venho-me entregar inteirinho para ti!
MITÓ - Desculpa lá, mas não aceito esmolas.

 

Lenço ( Bar )

A Catarina coça o nariz.
DEOLINDA - Ouve lá, ó miúda! Não tens lenços?
CATARINA - Tenho, mas não empresto!

 

Chouriço ( Rua )

JANUÁRIO - Pão com chouriço, pão com chouriço... sempre a mesma coisa! Já estou farto destas merendas!
MALUCO - Tens que pedir à tua mulher para variar.
JANUÁRIO - Mas eu sou solteiro.
MALUCO - Então quem é que te fez o pão com chouriço?
JANUÁRIO - Fui eu!

 

Mulheres ( Rua )

LADRÃO - Eu tenho 3 mulheres.
MALUCO - Quem são?
LADRÃO - A minha mulher, a mulher que a minha mulher pensa que eu tenho, e a mulher que eu gostava de ter.

 

Rinoceronte ( Bar )

O Maluco chega ao bar e dá um soco ao ladrão.
BRUNO - Estás maluco, ó Maluco?
MALUCO - Este estúpido chamou-me rinoceronte.
BRUNO - Eu não ouvi nada disso!
MALUCO - Não ouviste porque foi o mês passado!
BRUNO - E só hoje é que reagiste?
MALUCO - Porque só hoje é que soube o que é um rinoceronte!

 

Eco ( Casa )

José Batanete chega a casa.
FILIPA - Onde estiveste? Saiste de casa há horas e só agora é que voltas?
JOSÉ - (sem palavras)
FILIPA - Onde estiveste? Saiste de casa há horas e só agora é que voltas?
JOSÉ - (sem palavras)
TONINHO - Pai, o que é o eco?
JOSÉ - É a única voz que tem coragem de responder à tua mãe.

 

Aquecimento Central ( Supermercado )

TÂNIA - Está tanto calor aqui! Comprei um aquecimento central e está no máximo.
ADVOGADO - Então porque não o desliga?
TÂNIA - Porque, se eu comprei um electrodoméstico é para lhe dar uso! Dantes não pregava olho à noite por causa do frio.
ADVOGADO - E agora?
TÂNIA - Continuo a não pregar olho, mas é porque não sei onde vou arranjar dinheiro para pagar a conta da luz.

 

A Vida ( Escola )

PROFESSORA - O que aprendeste com a vida?
TONINHO - Quanto mais erros dou, mais esperto fico.

 

Vaidade ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - Dona Fifi, já viu como a dona Teresa é muito vaidosa? Há mais de uma hora que está a olhar para o espelho!
FILIPA - Aquela cara a olhar para o espelho? Aquilo não é vaidade. É mazuquismo.

 

Olá ( Rua )

JANUÁRIO - Eu conheço-te de qualquer lado...
MALUCO - É natural, eu costumo lá ir.

 

Notas ( Bar )

JANUÁRIO - Catarina. Que nota tiraste no teste?
CATARINA - Muito bom.
JANUÁRIO - Responde-me: portas-te bem nas aulas?
CATARINA - Porto.
JANUÁRIO - Já andaste à tareia com alguém?
CATARINA - Não.
JANUÁRIO - Sabes? És mentirosa! Se continuas assim vais ter de ir trabalhar para o instituto meteorológico!

 

Promessas ( Cabeleireiro )

FILIPA - Então o rapaz com que andas não é sério?
MARIA JOÃO - É. Tão sério, que eu pedi para prometer para não me beijar mais e ele cumpriu a promessa!

 

Patrões ( Bar )

BACALHAU - Despedi-me do meu emprego. Queria um patrão que me desse os bons dias, que me levasse a jantar fora, ao cinema... que me subisse o ordenado mensalmente... Enfim, um doce!
BRUNO - Mas tu sabes que não há partões assim!
BACALHAU - Não? Olha, a minha irmã arranjou um.

 

Odete ( Bar )

ZULMIRA - A Odete?
DEOLINDA - Tem o cabelo todo branco.
ZULMIRA - Envelheceu?
DEOLINDA - Não. Deixou de o pintar.

 

Taxi! ( Rua )

MALUCO - (A correr) Taxiiii, taxiiii, taxiiiiii!
TAXISTA - Sim senhor.
MALUCO - Bem me parecia que era!

 

Optimista ( Rua )

Após uma sessão de assaltos...
LADRÃO - Um bom optimista é aquele que vê o lado positivo na infelicidade dos outros.

 

Xadrez ( Casa )

TONINHO - Queres jogar xadrez comigo?
ANÍBAL - Achas? Eu sou um campeão de xadrez! Não tens hipótese de ganhar.
TONINHO - Duvido.
ANÍBAL - Duvidas??? Vamos lá jogar!
Depois do jogo...
TONINHO - Cheque mate. O que é que diz a isto?
ANÍBAL - DIGO QUE É MUITO FEIO VER AS SOLUÇÕES DOS JOGOS PARA PREJUDICAR OS ADVERSÁRIOS. OUVISTE?

 

Urgência ( Casa )

A Filipa telefona ao médico.
FILIPA - Senhor doutor! Ainda bem que está aí! É o meu Toninho... acabou de engolir um preservativo! Venha cá! Obrigado.
Passados uns minutos...
FILIPA - Senhor doutor? Ainda bem que ainda está aí. Já não precisa de vir cá. O meu José Batanete já encontrou outro preservativo.

 

Luz ( Bar )

MADRE - Deus é luz.
DEOLINDA - (Deus é luz? O que é que esta gaja quer agora?) Oh Bruno! Atente desta senhora da EDP, que eu não estou a entender nada disto!

 

Salame ( Casa )

ANÍBAL - Mamã, passa-me aí essa salame.
O Aníbal trinca a salame.
ANÍBAL - Mas esta porcaria está muito dura!
ZULMIRA - Mas ela levou 10 ovos e a farinha que estava em cima do balcão.
ANÍBAL - Farinha em cima do balcão? Aquilo era um saco de gesso!

 

Plástico ( Escola )

PROFESSORA - Como se obtêm os sacos de plástico?
TONINHO - Fazendo compras no supermercado.

 

Sonho ( Bar )

BRUNO - O que se passa, xôr Eníbal?
ANÍBAL - Tive um pesadelo! Sonhei que estava num deserto rodeado por mulheres por todo o lado.
BRUNO - Mas isso não é um pesadelo!
ANÍBAL - Não? É que eu era uma dessas mulheres. E entrou um matulão de 18 anos e começou a apalpar-me toda...

 

Ameixas ( Escola )

CATARINA - Professora!
PROFESSORA - Sim, Catarina...
CATARINA - Porque é que as ameixas pretas são vermelhas quando estão verdes?

 

Assalto ( Rua )

LADRÃO - QUERO O TEU DINHEIRO!
HOMEM - Não sabe com quem se está a meter.
LADRÃO - Quem é você?
HOMEM - Sou político e faço parte do governo.
LADRÃO - Ainda bem que o encontro. Assim é menos um assalto que eu tenho para fazer.
HOMEM - Já posso ir embora?
LADRÃO - Não! DEVOLVE O MEU DINHEIRO E NÃO BUFA!

 

Cúmulo da Rapidez ( Supermercado )

MANEL - Sabe qual é o cúmulo da rapidez?
TÂNIA - Não.
MANEL - É um homem fechar uma gaveta com a chave lá dentro.
TÂNIA - Hein?
MANEL - Um coelho virar-se para uma coelha e dizer assim: "Vai ser bom, não foi?".

 

Cantor ( Bar )

O Bacalhau está feito estúpido a cantar no bar.
DEOLINDA - Cantas tão bem. Porque não foste para cantor?
BACALHAU - Está louca, dona Deolinda? Os meus pais lá queriam um cantor na família!

 

Vá Lá ( Rua )

ADVOGADO - Vá lá. Só um!
PROFESSORA - Eu sou uma mulher casada!
ADVOGADO - Mas é só um!! Porque é que não me dá um?
PROFESSORA - Porque é o último e eu quero fumá-lo depois da bica.

 

Ajudar ( Bar )

O Bacalhau chega ao bar.
BACALHAU - Epah, tanta gente!
BRUNO - Podias era ajudar-me!
BACALHAU - É para já!
BRUNO - Então vai servir ali o senhor Rodolfo.
O Bacalhau chega à mesa do Rodolfo.
RODOLFO - Olhe lá. O que é que está a fazer aqui a olhar para mim?
BACALHAU - Tipo... sirvo?
RODOLFO - Serves.

 

Salvaterra de Magos ( Rua )

POLÍCIA - Olha, tu és pescador?
JANUÁRIO - Não. Sou caçador de leões em Salvaterra de Magos.
POLÍCIA - Mas lá não há leões.
JANUÁRIO - Por isso é que estou no desemprego.

 

Alface ( Bar )

NERO - Estão aqui os tomates.
TERESA - Oh meu amor, então esqueceste-te da alface?
NERO - Ainda estava verde...

 

Aviões ( Rua )

POLÍCIA - Oh José! Olha ali dois aviões de guerra!!!
JOSÉ - Pois são...
POLÍCIA - Serão amigos ou inimigos?
JOSÉ - São amigos! Não vês que vêm juntos?

 

Escola ( Casa )

O Toninho está a estudar.
JOSÉ - Os dias de escola são os melhores dias da nossa vida.
FILIPA - Desde que o nosso Toninho ainda tenha idade para andar na escola.

 

Desculpa ( Escola )

PROFESSORA - Porque chegaste tão tarde?
TONINHO - Porque a minha irmã adormeceu na banheira e esqueceu-se de fechar a torneira.
PROFESSORA - Deve ter havido uma grande inundação!
TONINHO - Não! A minha irmã dorme sempre de boca aberta.

 

Peixes ( Casa )

ANÍBAL - Porque é que os peixes têm escamas?
ZULMIRA - Porque não usam o champoo como deve ser.

 

Xarope ( Casa )

LUCINDA - Tia, passa-me o xarope.
A Tânia passa o xarope e a Lucinda põe-se a saltar na sala.
TÂNIA - Queres levar um estalo? O que se passa contigo?
LUCINDA - Nada! Fui eu que me esqueci de agitar o xarope antes de o tomar.

 

Carta de Pesados ( Rua )

O José Batanete comprou um carro novo e convidou a Filipa e a Zulmira a irem passear com ele.
O José vai a conduzir.
FILIPA - Pára, José Batanete! Mete a primeira!
ZULMIRA - Reduz para terceira! Trava! Apita! Acelera!
FILIPA - Trava a fundo!
JOSÉ - Olha lá! Afinal quem é que conduz? És tu ou a tua mãe?

 

Matemática ( Escola )

PROFESSORA - Quanto é a metade de 4?
CATARINA - Agora neste momento não sei... mas não deve ser muito...

 

Pintalhada ( Supermercado )

TÂNIA - Oh Henriqueta... o que faz esta pintalhada toda em cima do meu balcão?
HENRIQUETA - Lembras-te dos 6 ovos FRESQUÍÍÍSSIMOS que me vendeste ontem à tarde?

 

Bodas ( Cabeleireiro )

MULHER - Oh Filipa... sabias que o meu marido morreu 3 semanas depois do nosso casamento?
FILIPA - Oh, deixa lá! Assim não teve que sofrer muito, não é?

 

Diz Que Diz ( Rua )

LUCINDA - Olha, sabes o que é que a Laura diz pó namorado?
MITÓ - Não.
LUCINDA - Certo, é isso. E sabes o que é que a Laura diz pó namorado?
MITÓ - Outra vez?
LUCINDA - Certo, é isso. E sabes o que é que a Laura diz pó namorado?
MITÓ - Epah, já é a terceira vez!
LUCINDA - Certo, é isso.

 

A Rosa ( Bar )

ANÍBAL - Uma dia vira-se a rosa para a couve:
- És feia, tens a pele enrugada e cheiras mal. Olha para mim, que sou linda, tenho a pele lisa e cheiro bem.
Ao que a couve responde:
- Pois é, mas a ti ninguém te come.
BACALHAU - Palhacinho!

 

Sesta ( Rua )

O polícia anda atrás do Caló.
Corre, corre, corre, corre...
Mas Caló está cansado e senta-se no banco, juntamente com o polícia.
Caló bebe água e empresta a garrafa ao polícia.
A seguir, o Caló levanta-se de novo, para continuar a fugir do polícia.

 

Queixinhas ( Cabeleireiro )

HENRIQUETA - Sabia que a sua Lucinda vai todas as noites ao bosque com o Maurício DE MOTA?
FILIPA - E depois? Ela não é moça de se esquecer de usar capacete.

 

Número ( Supermercado )

O Manel liga para alguém.
MANEL - Estou sim? É da casa do Manel José?
HOMEM - Não. É da casa do José Manel!
MANEL - Ah... devo ter escrito o número de trás para a frente. Passar bem. Obrigado.

 

Combinar ( Casa )

A Filipa fala, fala, fala, fala, fala, fala, fala, enquanto o José Batanete está a ler o Donald na cama.
FILIPA - MAS TU ESTÁS A OUVIR-ME? NÃO PARAS DE LER PARA ME OUVIR?
JOSÉ - Vamos combinar uma coisa: eu paro de ler para te ouvir; e tu, por teu lado, paras de falar. Ok?

 

O Empréstimo ( Rua )

O Caló assalta o advogado.
ADVOGADO - A carteira está no bolso do casaco.
LADRÃO - Assim é que eu gosto, que digam onde estão as coisas! =D
ADVOGADO - Já agora podias fazer-me um favorzinho. Podias dar um tiro pequenino no meu pé?
LADRÃO - Mas porque é que quer que eu faça isto?
ADVOGADO - Porque se eu for defendê-lo no tribunal por tentativa de homicídio ganho muito mais dinheiro do que um simples assalto à mão armada.

 

Noves Fora ( Escola )

PROFESSORA - 8+1=9, 3+6=9, 4+5=9, 2+7=9, 1+8=9...
TONINHO - Isso quer dizer que agora qualquer soma que se faça são sempre 9?

 

Religião ( Bar )

MADRE - Podíamos agora falar em religião.
DEOLINDA - Porquê? Não podemos falar em português?

 

Sorte ( Escola )

PROFESSORA - A minha sorte, Toninho, é que os teus disparates entram por um ouvido e saem pelo outro!
TONINHO - Pois... não tem nada pelo meio...

 

Madalena ( Rua )

MADRE - Sabes o que é que a dona Madalena tanto nos deu?
JANUÁRIO - Não faço ideia.
MADRE - Deu muito que falar.

 

Extracção ( Hospital )

RODOLFO - Quanto tempo demora a extracção de um dente?
MÉDICO - 10 minutos.
RODOLFO - E quanto custa?
MÉDICO - 50 euros.
RODOLFO - 50€ por 10 minutos?
MÉDICO - Se quiser posso extrair o dente mais lentamente.

 

Cúmulo ( Supermercado )

MANEL - Sabe qual é o cúmulo da lentidão?
TÂNIA - Não.
MANEL - É um alentejano fazer uma corrida consigo mesmo e ficar em 2º lugar.
...
MANEL - Vai um Funaná?
TÂNIA - Sou mulher para isso.

 

Ronda ( Casa )

FILIPA - Quando fazes as tuas rondas à noite eu fico nervosa.
JOSÉ - Não vale a pena! Vais ver que o teu maridinho vai chegar antes da hora.
FILIPA - Já calculava! Isso é que me enerva.

 

Horas ( Escola )

PROFESSORA - Sabes qual é o objectivo dos teus pais quando te mandam para a escola?
TONINHO - É para terem umas horas de descanso.

 

Autoclismo ( Casa )

ANÍBAL - Sabes o que é que o autoclismo diz à água?
TÂNIA - Vai à merda.

 

Maçãs ( Supermercado )

TÂNIA - Acabámos de receber maçãs indianas.
MANEL - Não são nada!
O Manel começa a fazer malabarismo com as maçãs, até que uma bate na testa e faz-lhe uma ferida no meio.
A seguir, o Manel encontra-se num tapete, com uma camisola no cabelo e a meditar.
TÂNIA - Tás a ver como eram maçãs indianas?

 

Papagaio ( Rua )

O polícia manda parar o carro a um homem com um papagaio no ombro.
JOSÉ - Ahah, que giro! Ele consegue falar?
PAPAGAIO - Não sei, nunca lhe perguntei.

 

História ( Escola )

Depois da professora contar uma história, toda a gente se riu (incluindo ela).
Menos o Toninho.
PROFESSORA - Porque é que não te riste, Toninho?
TONINHO - Porque eu sou repetente e já ouvi isso bué da vezes.

 

Idiotas ( Bar )

ZULMIRA - Olha, porra. Vou-me embora, eu não quero falar mais com idiotas.
DEOLINDA - Mas quem fala com idiotas és tu!

 

Oração ( Rua )

MADRE - Tens dito as tuas orações todas as noites?
ANÍBAL - Nem sempre. Quando eu não preciso de nada, evito. Não quero abusar, não é?

 

Irmão ( Supermercado )

MULHER - És tu?
TÂNIA - Sou eu! =D E tu, és mesmo tu?
MULHER - Eu sou!!! =D O teu irmão?
TÂNIA - Está na polícia!
MULHER - Também o meu =D
TÂNIA - Que coincidência!
MULHER - Foi apanhado ontem. -.-

 

Idade ( Escola )

PROFESSORA - Que idade teria uma pessoa nascida em 1905?
TONINHO - Homem ou mulher?

 

Carteiro ( Cabeleireiro )

FILIPA - Apareceu cá alguém?
MARIA JOÃO - Só o carteiro.
FILIPA - E então? Alguma coisa para mim?
MARIA JOÃO - Não, que horror! O homem era tão feio!

 

Ténis Brancos ( Rua )

POLÍCIA - Oh colega! Isso é maneira de vires bem vestido? Farda preta com ténis brancos?
OUTRO POLÍCIA - Que quer? Os meus outros sapatos sujaram-se...
POLÍCIA - Já agora trazias o teu gorro amarelo.
OUTRO POLÍCIA - Amarelo com branco? Não combina!

 

Vida ( Bar )

BRUNO - Tu vives de quê?
JANUÁRIO - Eu escrevo.
BRUNO - Escreves o quê?
JANUÁRIO - Cartas aos meus padrinhos a pedir dinheiro.

 

Despertador ( Rua )

ZULMIRA - Oh Indalésio, porque é que tens um despertador no pulso?
INDALÉSIO - É porque, de tanto segurar a cana de pesca, o braço costuma adormecer!

 

Fumar ( Cabeleireiro )

HENRIQUETA - O meu Inácio tem tanto vício!
FILIPA - Não me digas que ele agora fuma.
HENRIQUTA - Sim... em casa, depois de uma boa refeição.
FILIPA - Oh, deixa lá isso! Fumar uma vez por ano não tem mal nenhum!

 

Cores ( Bar )

BRUNO - Lindas calças, Bacalhau!
BACALHAU - Gostas? São pretas, cor do meu cabelo. Eu acho que todos os homens deviam usar as calças da cor do seu cabelo.
BRUNO - Então e um careca como eu, o que devia usar?
BACALHAU - Ai, Bruno! Tu és um malandro...

 

Teste ( Rua )

POLÍCIA - Importa-se de se submeter a um testezinho de álcool?
MADRE - Em que bar é que começamos?

 

Funeral ( Rua )

RODOLFO - Tenho feito tanto funeral, tanto funeral, que agora até fazia um funeral grátis.
MULHER DO INDALÉSIO - Oh Vítor! Vai-te matar.

 

Doloroso ( Hospital )

MÉDICO - Vou ter que lhe arrancar um dente.
PROFESSORA - E isso é doloroso?
MÉDICO - Olhe, da última vez que arranquei um, torci o pulso!

 

Cama ( Casa )

FILIPA - Toninho, tens que ir para a cama.
ZULMIRA - Anda aqui que eu canto-te uma canção de embalar.
FILIPA - Oh mãe, não será melhor levá-lo a bem?

 

Língua ( Cabeleireiro )

A Maria João fala, fala, fala, fala.
MARIA JOÃO - AI! MORDI A LÍNGUA!!!
FILIPA - Como é que isso pode ser? Tu nunca fechas a boca...

 

Mulher ( Rua )

INÁCIO - A minha mulher não me compreende. E a sua?
POLÍCIA - Sei lá. Nunca falámos de ti...

 

Janela ( Casa )

LUCINDA - Porque é que na segunda-feira saiste pela janela?
TÂNIA - Porque tinha uma semana de trabalho à porta.

 

Brasil ( Escola )

PROFESSORA - Sabes quem descobriu o Brasil?
CATARINA - E a professora sabe?
PROFESSORA - Claro que sei.
CATARINA - Então porque é que pergunta?

 

Fotografia ( Rua )

ADVOGADO - Senhor polícia! A minha mulher desapareceu!
POLÍCIA - Coitado! Tem uma foto dela?
ADVOGADO - Sim, tome. Não pode ajudar?
POLÍCIA - O senhor quer que eu o ajude?
ADVOGADO - Sim.
POLÍCIA - De certeza?
ADVOGADO - Sim.
O polícia rasga a foto.

 

Desaparecida ( Rua )

ADVOGADO - Já sabe alguma coisa da minha mulher?
POLÍCIA - Como é que era a sua mulher?
ADVOGADO - 1 metro e 80, sapatos 44, cabelo encaracolado, dentes estragados, um olho mais fechado que o outro, um bigode...
POLÍCIA - Está cheio de sorte. Até agora não temos a mais pequena pista!
ADVOGADO - Louvado seja Deus! =D

 

Cabelo ( Rua )

POLÍCIA - Ó Chico, esse cabelo já devia ter sido cortado há muito tempo...
OUTRO POLÍCIA - E foi...

 

Tomates ( Bar )

ANÍBAL - Oh Bruno, tu tens tomates para me fazer uma salada?
BRUNO - Obviamente que tenho...
ANÍBAL - Então faz-me uma salada só com alface.

 

Cúmulo ( Rua )

JEAN JACQUES - Sabe qual é o cúmulo da burrice?
MARY - Não.
JEAN JACQUES - É um homem espreitar pela fechadura de uma porta transparente.

 

FCP ( Rua )

ZULMIRA - Sabes o que quer dizer FCP?
MARIA JOÃO - Não.
ZULMIRA - Fomos Campeões Portugueses.

 

2 euros ( Bar )

CATARINA - Mano, dá-me 2 euros!
JANUÁRIO - Não. Tu por acaso sabes o valor de 1 euro?
CATARINA - Sei, por isso é que te peço 2... um não serve para nada.

 

Namorado ( Rua )

MULHER - O que é que há entre ti e o meu namorado?
LUCINDA - És tu.

 

A Horta ( Bar )

ZULMIRA - Oh Deolinda, lembras-te daquela horta que o Padre António tinha para aqueles lados de Alpiarça?
DEOLINDA - Não.
ZULMIRA - Aquela onde a gente ia fazer aquelas sardinhadas e eu cantava um fadinho!
DEOLINDA - Não me lembro.
ZULMIRA - Olha... eu também não me lembro!! Oh!
DEOLINDA - Oh Bruno! Duas minis!

 

Cura ( Rua )

MÉDICO - O amigo Indalésio vai ter de deixar de fumar.
INDALÉSIO - Mas eu não fumo...
MÉDICO - Então vai ter de começar a fumar e depois deixa.

 

Boa Memória ( Supermercado )

TÂNIA - Manel, tu tens boa memória?
MANEL - Se tenho! Todo eu sou memória!
TÂNIA - Então no final do mês lembra-me de que eu tenho que te despedir.

 

Velha ( Rua )

Rodolfo e uma mulher estavam a andar de carro.
A mulher ia a conduzir.
A Deolinda estava a cantar ao atravessar a rua.
RODOLFO - OLHA A VELHA! OLHA A VELHA!
Puuuuuuum....
RODOLFO - Estava a ver que não acertavas!

 

A Bola de Berlim ( Bar )

TONINHO - Pai, dá-me uma bola de berlim.
JOSÉ - Olha lá, porque é que queres uma máquina de lavar, se já tens a tua mãe lá em casa?
DEOLINDA - A partir desse dia, o Toninho nunca mais comeu bananas.
ZULMIRA - Moral da história: o José Batanete não sabia andar de skate.

 

Madame Rosalina ( Rua )

O bêbado estava todo partido, cheio de feridas.
JANUÁRIO - Então, Bêbado! Foste atropelado?
BÊBADO - Não. A minha mulher é que foi à Madame Rosalina e as cartas disseram que daqui a 17 anos eu vou ter um caso com uma loira.

 

O Banho ( Casa )

ZULMIRA - OH NINI! SE VOLTAS A FAZER O MESMO, DOU-TE UM ESTALADÃO DAS ANTIGAS!
FILIPA - Oh Aníbal! Como é que a mãe descobriu que hoje não tomaste banho?
ANÍBAL - Esqueci-me de molhar o sabonete.

 

Dieta ( Bar )

DEOLINDA - Zulmira, devias fazer dieta e ginástica para ficares menos gorda.
ZULMIRA - Não dizes coisa com coisa. As baleiras comem todo o dia peixe, bebem todo o dia água, nadam o dia todo e não são magras.

 

Boa Acção ( Escola )

PROFESSORA - Ricardo, ontem fizeste uma boa acção?
RICARDO - Ajudei uma velhinha a atravessar a rua.
PROFESSORA - E tu, Catarina?
CATARINA - Estive 5 minutos em casa da minha avó e vim-me embora para ela ficar muito feliz.

 

Homem Ideal ( Cabeleireiro )

MARIA JOÃO - Eu queria um que me fizesse companhia todas as noites, me abraçasse e estivesse sempre virado para mim...
FILIPA - Eu se fosse a ti comprava uma televisão.

 

Surpresa ( Rua )

BRUNO - Tenho uma supresa parla ti.
MARY - Qual?
O Bruno escreve na parede duma casa, com uma caneta: "MERELY".
MARY - Falta o teu nome.
O Bruno pega num carimbo de ferro, enorme, cola-o na parede (em cima de "MERELY") e volta a tirar.
Aparece um grande coração vermelho a dizer: "BRUNO AMA ...".
BRUNO - Eheheh... assim dá para todas. =D

 

Cúmulo ( Supermercado )

TÂNIA - Sabes qual é o cúmulo da altura?
MANEL - Não.
TÂNIA - É um homem ter que subir a um escadote para fazer o nó da gravata.

 

A Surpresa ( Casa )

O José chega a casa e encontra a família toda no sofá.
JOSÉ - Hoje vamos jantar fora.
Toda a gente se foi arranjar.
Uma hora depois, toda a gente estava pronta para sair.
JOSÉ - Vamos, ajudem aqui a pegar na mesa. Vamos jantar no quintal.